segunda-feira, outubro 01, 2012

DOCE DE TOMATE E UVA DA AVÓ RORÓ [MIMINHOS DA ROSARINHO]#8





Mais um miminho que chegou a minha casa. Desta vez foi a minha amiga Rosarinho que me presenteou. Estivemos no Facebook nesse fim-de-semana, e ela disse-me que estava a fazer este doce. Eu curiosa, pois doce de tomate gosto muito, apesar de nunca ter feito, pois na minha lembrança de criança e de sempre tenho o sabor e o cheiro que perfumava a casa dos meus saudosos pais, quando era o tempo do tomate e a minha mãe fazia o doce. Mas com uvas nunca tinha provado, pedi à Rosarinho se fazia o favor de enviar a receita. Ok, ela respondeu-me mas a receita não escreveu. Mas pensei: está com os príncipes (netos) logo que tenha tempo, concerteza envia. Fiquei há espera da (receita) e qual não é o meu espanto, quando na sexta feira seguinte vou ao correio e tinha lá um registo dos correios de uma encomenda. Os carteiros agora, andam todos de moto ou carro, pelo menos na minha zona de residência, mas mesmo assim, não têm tempo para fazer o seu trabalho como deve ser. No papel dizia o meu nome (Isabel) "mal e porcamente", Marias há muitas na terra, por acaso até sou uma delas. (Sorrisos) e no remetente só dizia Oeiras, e a tal cruzinha onde diz não atendeu, grande mentiroso, nem tocou. Ok, fiquei "à nora", pois de Oeiras o que me veio à memória foi o Museu do Automóvel Antigo. Mas, tive que esperar, e lá fui aos correios. Surpresa, quando leio o nome do remetente e vejo que é da minha amiga Rosarinho. Pensei logo, o que foi que a malandreca enviou. Chego a casa e fiquei sensibilizada pois vinha um frasco do doce que tinha feito nesse fim-de-semana, além que também vinha acompanhar um outro doce de tanjerinas que a Rosarinho tinha passado a receita com fotos e tudo. Obrigada amiga, utilizando o termo do meu filho: estão brutalissimos...

Doce de Tomate e Uva da Avó Roró

-2,5 kgs de tomate (tipo chucha)
-1 kg de uvas (D.Maria)
-2,5 kgs de açúcar
-1 casca de limão
-1 pau de canela

Num alguidar escaldam-se os tomates com agua a ferver e deixa-se +- 15 minutos.
entretanto preparam-se as uvas, abrem-se ao meio e retiram-se as grainha e colocam-se no tacho (de preferência de alumínio)onde se irá fazer o doce.

Pelam-se os tomates retiram-se as sementes e vai-se colocando a polpa a escorrer num passador, para retirar o excesso de agua. Junta-se a polpa às uvas já colocadas no tacho, deita-se o açúcar, o pau de canela e a casca de limão e leva-se ao lume (médio) mexendo de 15 em quinze minutos até atingir o ponto de estrada que se atinge, no mínimo, depois de uma hora cozedura.

Para saber se de facto está no ponto vai-se colocando pequenas porções num pires e risca-se com a colher de pau, se fizer estrada é sinal que está bom.

Este doce é simples, mas é um pouco trabalhoso tanto na preparação como na cozedura, pois requer muita paciência, control de cozedura e quase no final, para ficar ficar mais encorpado, com ajuda de uma escumadeira e um garfo vai-se esborrachando os pedaços de tomate que possam estar grandes, para tornar o doce com uma consistência mais homogenia.

Nota: Estas recomendações podem parecer minuciosas, mas para se atingirem bons resultados tem que se ter em conta os ensinamentos das nossas queridas Avózinhas.

Estou no Facebook aqui!

"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos."

[Charles Chaplin]