segunda-feira, janeiro 20, 2014

ARROZ COM CHOURIÇO DE MOIRA E COUVE LOMBARDO



Costumo ir à Feira de Coina, para comprar presunto, enchidos, alheiras etc. Vou sempre ao mesmo sitio uma "senhora" barraca "Fumeiros de Castro Daire". Vou à feira só mesmo para comprar o que escrevi mais atrás, compramos a metade do preço das grandes superfícies mas a qualidade é superior, ok? Para mim esta empresa é de confiança, pois conheço os donos já há uns anitos. ha, e compro sempre as lindas das farturas, mas, lambuzo-me logo com uma alí (açúcar por todo o lado, mas que delícia ;) ). Ah pois, feira sem fartura não é feira :). Trago sempre o chouriço de moira que assado, adoro. Desta vez resolvi fazer um arrozito todo catita :) que ficou uma delícia, só não ouvi a opinião do filho. Vamos ver como fiz.



Coloquei um chouriço de moira num tacho e cobri com água, levei ao lume a cozer. Ao fim de 5 a 8 minutos de ferver deitei a água que cozeu o chouriço fora. Voltei a colocar o chouriço com água ao lume, mas agora espetei-o com um garfo (ai, coitadito, mas era para ele largar os sucos :) ). Deixei ferver durante mais dez minutos. Retirei o chouriço e reservei a água da cozedura. No tacho coloquei uma cebola picada, um dente de alho picado, uma folha de louro e reguei com azeite, levei ao lume a refogar em lume brando, o tempo da cebola ficar translúcida. Nessa altura juntei a água reservada (de cozer o chouriço) e deixei levantar fervura, juntei couve lombarda cortada grosseiramente em juliana, temperei com sal marinho, e deixei de novo levantar fervura. Juntei o arroz e envolvi muito bem, deixei cozinhar. A meio da cozedura juntei o chouriço de moira cortado às rodelas e voltei a envolver, deixei cozinhar até o arroz estar al dente. Nessa altura apago o lume dou uma "envolvidela" e tapo o tacho, para o arroz acabar de cozer e apurar.´

Notas: Apesar dos chouriços serem um "pecado" de bom, ao cozer na primeira água e ao deitar a água fora, é só porque não sei que tripas usam, se fossem caseiros, como já comi muito na minha vida, aí utilizo a 1º água ok? Se vocês são dessas pessoas previligidas (os) aproveitem a 1º água, e aí concerteza "quase" que não precissam usar sal. A água é sempre o dobro do arroz.

Mudem dos 18 para os 30, mudem dos 30 para os 50, mudem, porque desconfiado a gente tem que ficar de quem não muda jamais. São tantas as informações e vivências que absorvemos durante uma única vida que é impossível que elas não nos façam refletir e alterar nossa rota. Infeliz de quem passa a vida toda sendo fiel ao que os outros pensam a seu respeito.

(Martha Medeiros)