quinta-feira, janeiro 02, 2014

LAMPREIA COM GILA E OVOS MOLES









A primeira receita de 2014 da Isabel do Cozinhar com os Anjos (euzinha) tinha que ser uma novidade, ah pois, não ia iniciar o Ano do meu adorado blog com uma receita mais do mesmo ;)


Há uns doisou três anos uma seguidora deu-me esta receita, em vez de ser lampreia com fios de ovos, colocar a gila, só cozida ou em doce. Eu como na minha casa tenho sempre doce de gila, pois quando termina faço logo mais, pois mora na minha garagem abóboras gilas, não, não tenho nenhuma plantação dentro da garagem, mas é onde as guardo, para não estorvar na cozinha. Disse-me para cobrir a mesma com ovos moles, eu fiz um estilo, sim disse bem, "estilo" de placas de ovos (as minhas ficaram um pouco "enrugaditas"), mas não ouve problema deu para cobria a lampreia, enguia, lagarta ou o bicharoco que saiu. :) O principal era o sabor, e esse estava brutalíssimo como o meu provador oficial (filho) disse. Depois foi enfeitar com as cerejas e fios de ovos feitos por mim pela primeira vez. 

Fios de ovos


-1/2 Kg de açúcar
-12 gemas de ovos
-3 dl de água

Separadas completamente das claras, tiram-se às gemas, com os dedos, as películas que as revestem. Passam-se por passador de rede fina sem bater nem mexer, deixando-as escorrer lentamente. Põe-se o açúcar no lume com água, para levantar fervura, conservando-o em lume forte, mas que deve incidir somente no centro do tacho, para ferver do meio para os lados. Isto é fundamental para que as meadas fiquem perfeitas sem que os fios se embaracem ou se partam. Deitam-se as gemas no funil próprio de 3 bicos, tapam-se os orifícios do funil com os dedos e, com o açúcar em ponto baixo, destapam-se os orifícios e anda-se com o funil à roda do tacho. As gemas cairão em fios, fazendo uma meada, que se vai tirando de vez em quando com um garfo para um prato molhado com água e separando os fios com o garfo, com cuidado para não os partir. De cada vez que se tira uma meada, deita-se no tacho uma gota de água para fazer parar a fervura e evitar que o ponto de açúcar engrosse antes de cozer a meada seguinte. A grossura dos fios depende da altura em que se mantém o funil. Quando mais alto estiver, mais finos ficam, mas não se deve levantar demasiadamente para evitar que se quebrem. Para fazer grandes meadas de fios de ovos, é indispensável que no tacho haja bastante calda. (Retirei esta receita do meu livro "O Livro de Pantagruel", só na segunda volta é que consegui, fazer fios bonitinhos :) ah pois, também me acontece.


Placas de ovos (enrugaditas) para cobrir o bichinho :)

-12 gemas de ovos
-1 clara
-750 g de açúcar

Levei o tacho com o açúcar, apenas coberto com água, até atingir um ponto de fio leve, passei as gemas e clara por um passador de rede fina. Fui deitando na calda uma porção de gemas com uma colher de sopa grande, deixei que fervesse em lume brando, até ficar cozida. Tirei da calda com uma escumadeira e coloquei sobre uma peneira e fui procedendo da mesma maneira até terminar as gemas. Quando terminei fui colocar o doce de gila num prato e dar-lhe a forma do bichinho. Entretanto as placas (enrugaditas) já tinham arrefecido cobri o bichito com as mesmas. Enfeitei com as cerejas e os fios de ovos e ops produção fotográfica, não enfeitei com o creme branco que se vê nas pastelarias, pois esta é a minha lampreia.

Na minha mesa, não faltou as azevias, fatias douradas ou paridas como queiram chamar, bolo rei, bolo escangalhado, bombons, aletria, sonhos de cenoura, cake pops, cupcakes, sonhos com açúcar e canela, sonhos recheados com chocolate, sonhos recheados com ovos moles, rabanadas recheadas com ovos moles, papos de anjo, e broas castelares, tronco de Natal. Fora claro os frutos secos. Irei postando as novidades que fiz este ano, o resto já está no blog.

Todo o dia é ano novo.
Todo dia é ano novo.
Entre a lua e as estrelas
num sorriso de criança
no canto dos passarinhos
num olhar, numa esperança...
Todo dia é ano novo
na harmonia das cores
na natureza esquecida
na fresca aragem da brisa
na própria essência da vida.
Todo dia é ano novo
no regato cristalino
pequeno servo do mar
nas ondas lavando as praias
na clara luz do luar...
Todo dia é ano novo
na escuridão do infinito
todo ponteado de estrelas
na amplidão do universo
no simples prazer de vê-las
nos segredos desta vida
no germinar da semente.
Todo dia é ano novo
nos movimentos da Terra
que gira incessantemente.
Todo dia é ano novo
no orvalho sobre a relva
na passarela que encanta
no cheiro que vem da terra
e no sol que se levanta.
Todo dia é ano novo
nas flores que desabrocham
perfumando a atmosfera
nas folhas novas que brotam
anunciando a primavera.
Você é capaz, é paz
É esperança
Todo dia é ano novo
no colorido mais belo
dos olhos dos filhos seus...
Você é paz, é amora alegria de Deus.
Não há vida sem volta
e não há volta sem vida
no ciclo da natureza
neste ir e vir constante
No broto que se renova
na vida que segue adiante
em quem semeia bondade
em quem ajuda o irmão
colhendo felicidade
cumprindo a sua missão.
Todo dia é ano novo...portanto...feliz ano novo todo dia!

(desconhecido)

P.S. Até há uns anos atrás também tinha a mania de dizer ano novo vida nova. Mas "quase" a fazer 55 anos digo: Grande tanga, todos os dias podemos mudar o que não está bem! Pois todos os dias começamos um novo dia, mais uma página do nosso livro da vida.