sexta-feira, abril 25, 2014

PAVLOVA COM OVOS MOLES


Claras de ovos habitam sempre na minha arca. Ao longo do tempo que estou na blogosfera tenho passado sempre essa informação (congelo as claras que sobram dos gelados, ou outras sobremesas). Resolvi fazer uma Pavlova como estávamos na Páscoa resolvi colocar ovos-moles e depois cobri com o chantilly. Depois enfeitei com mais ovos moles e fios de ovos, onde no meio coloquei uma amêndoas de chocolate. Este ano, o meu ninho de Páscoa, foi mesmo a Pavlova. Não fiz o bolo, pois o meu filho fez anos dia 22 de Abril, e sabendo que sobraria ninho, saiu outro ninho :).

Ingredientes do merengue:

-3 claras
-170 g de açúcar
-1 colher de (sobremesa) de vinagre
-1 colher de (sobremesa) de maisena

Bati as claras em castelo, quando batidas juntei metade do açúcar e voltei a bater até fazer picos. Juntei o resto do açúcar, farinha e o vinagre e envolvi muito bem com a vara de arames sem bater. Untei com manteiga um tabuleiro (daqueles de bolachas/biscoitos, sem laterais) e deitei o merengue no meio. Com uma colher de (sopa) fui espalhando até fazer um circulo. Levei ao forno pré-aquecido a 110ºC, durante 1 hora. Ao fim desse tempo desliguei o forno e deixei o merengue arrefecer dentro do (forno).


Ovos Moles:

-300 g de açúcar
-água
-3 gemas + 1 ovo

Coloco o açúcar no tacho e cubro o mesmo com água. Deixo ferver até ficar um ponto de pérola fino, quando atingido o ponto retiro o tacho do lume e deixo arrefecer. Quando frio junto as gemas batidas com o ovo, envolvo muito bem com a vara de arames e levo ao lume até engrossar (cozinhar os ovos) o que é rápido. Assim temos um creme de ovos moles caseiro (se é que posso ter a pretensão de dizer tal, pois os ovos vêm do Hipermercado :).


Fios de ovos

-1/2 Kg de açúcar (250 g de açúcar)
-12 gemas de ovos (6 gemas de ovos)
-3 dl de água (1,5 dl de água)

Separadas completamente das claras, tiram-se às gemas, com os dedos, as películas que as revestem. Passam-se por passador de rede fina sem bater nem mexer, deixando-as escorrer lentamente. Põe-se o açúcar no lume com água, para levantar fervura, conservando-o em lume forte, mas que deve incidir somente no centro do tacho, para ferver do meio para os lados. Isto é fundamental para que as meadas fiquem perfeitas sem que os fios se embaracem ou se partam. Deitam-se as gemas no funil próprio de 3 bicos, tapam-se os orifícios do funil com os dedos e, com o açúcar em ponto baixo, destapam-se os orifícios e anda-se com o funil à roda do tacho. As gemas cairão em fios, fazendo uma meada, que se vai tirando de vez em quando com um garfo para um prato molhado com água e separando os fios com o garfo, com cuidado para não os partir. De cada vez que se tira uma meada, deita-se no tacho uma gota de água para fazer parar a fervura e evitar que o ponto de açúcar engrosse antes de cozer a meada seguinte. A grossura dos fios depende da altura em que se mantém o funil. Quando mais alto estiver, mais finos ficam, mas não se deve levantar demasiadamente para evitar que se quebrem. Para fazer grandes meadas de fios de ovos, é indispensável que no tacho haja bastante calda. (Retirei esta receita do meu livro "O Livro de Pantagruel", só na segunda volta é que consegui, fazer fios bonitinhos :) ah pois, também me acontece.

P.S. Fiz só metade da receita.


"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos."
Charles Chaplin