segunda-feira, outubro 20, 2014

MARMELADA BRANCA DE ODIVELAS



Estamos na altura do marmelo e de fazer marmelada. Sou sincera, nunca foi muito dos meus "dreams". Mas sempre fiz, o meu saudoso pai gostava, então eu fazia sempre para levar. O meu filho quando era mais novo até gostava com pão e queijo (nunca só a marmelada). Há uma semana mais ou menos ouvi falar da marmelada branca. Fui pesquisar e dei com a receita da marmelada branca de Odivelas, e que não é mais que um doce conventual. Pois a tradicional marmelada o açúcar é sempre o peso da fruta, aqui nesta receita é o dobro. O açúcar depois dos quadrados secos (se possível ao sol, venha ele) é que faz com que a marmelada fique mais branca e seca.


A receita retirei daqui: Se quiserem saber a história da marmelada de Odivelas, abram o link ok?


"Vão-se esbrugando os marmelos e deitando-os em água fria. Põe-se a ferver em lume brando, estando bem cozidos se passam por peneira. Para 1kg de massa 2kg de açúcar em ponto alto de sorte que deitando uma pinga n´agua coalhe; tira-se o tacho do lume e se lhe deita a massa muito bem desfeita com a colher, torna ao lume até levantar empolas. Tira-se para fora e se bate até esfriar, para se pôr em pratos a secar."

Vamos ver como fiz: Comprei só 800 g de marmelos (casca verde). Depois de descascados e retirar os caroços fiquei com 400 g de marmelos, mais que suficiente para fazer a experiencia. Quando estava a fazer, vi que a maneira é igual à receita do Alexandre, só difere a quantidade do açúcar e recipiente onde se coloca


Ingredientes:

-400 g de marmelos descascados e sem caroços
-800 g de açúcar
-200 ml de água de cozer os marmelos (coada)

Cortei os marmelos em quartos e coloquei-os numa tigela com água fria. Fui descascando os quartos da fruta e retirando o caroço, mas colocava de novo dentro da tigela de água fria. Passei-os por várias águas e coloquei a fruta num tacho cobertos com água fria. Levei o tacho a lume brando até a fruta estar bem cozida. Quando a fruta estava cozinhada reservei 200 ml da água. Passei a fruta por uma peneira com a ajuda de um garfo (parte mais chata). Coloquei de novo o tacho ao lume com o açúcar e a água reservada e deixei ferver até encontrar o ponto de pérola. Nessa altura juntei o polme da fruta passada pela peneira e reservada, envolvi muito bem com a vara de arames. Fui sempre mexendo até começar a ferver de novo. Retirei o tacho do lume e com a vara de arames fui batendo a marmelada, convém até a mistura estar fria. Deitei a mistura num tabuleiro de pyrex quadrado previamente esterilizado. Deixei de um dia para o outro. Na banca da cozinha coloquei uma folha de papel vegetal e virei o pyrex com a marmelada. Cortei quadrados (mais ou menos) e coloquei-os em papel vegetal. Agora é esperar, o tal do Verão (sol) que dizem que vem, para secar. :) Deu 32 quadrados.

Notas: O Natal está quase à porta, que tal pensarem em começar a fazer os vossos presentes personalizados. Estes quadrados de marmelada branca de Odivelas, um doce conventual, depois de secos colocados em caixinhas ou embrulhados em papel vegetal e depois em celofane e dentro de um cesto escolhido por vocês, fica interessante. É só uma ideia ok?


"Todos são Arquitectos do destino, vivendo nestas paredes de tempo, então não se lamente pelo passado. Ele não voltará de novo."

(Henry Wadsworth Longfellow)