terça-feira, junho 07, 2016

DOZE MESES DE COZINHA 1º EDIÇÃO








Ontem recebi um email daqueles que só apetecia apanhar a pessoa em questão e mandar aos tubarões (pronto, não sou tão mazinha, ficava-me pelos lindos golfinhos) no meu adorado mar. :) Desta vez, nem dá para perceber o sexo, por isso é pessoa feia, nem sei se posso chamar tal, se calhar até é bom demais, mas vamos lá ó pessoa feia (cá para mim é a mesma pessoa deste dia). Será por isso que perguntava se eu não tinha vergonha?!?!? Parece-me que caiu de "paraquedas" no Cozinhar com os Anjos, e como não tem nada que fazer, ou tem, mas é tão insignificante que resolveu picar-me os miolos. :) Ou pessoa feia? Sabe? Estou de bem com a vida graças a DEUS, não o seu caso, deve andar aí um turbilhão. Faça umas caminhadas na praia, tente respirar a natureza, tente sentir o porquê ser tão amarga/o, e resolva esse ou esses problemas, vai ver que é tão melhor. Pelo menos tente ok?  Então esta pessoa feia perguntou-me se não tinha vergonha de mostrar um livro tão mal tratado,  deve ter andado a coscuvilhar os meus livros no blog, daí ter a brilhante ideia de picar a cabeça à Isabel. :) O meu primeiro livro de cozinha "Doze Meses de Cozinha" que no ano de 1975 o meu saudoso pai me ofereceu, eu pedi e ele comprou, um livro bem caro para a altura. Estava eu na minha loja em Campo de Ourique, ainda me lembro do dia. A inauguração da loja foi em Outubro de 1975, e foi nesse mesmo mês que o livro me chegou às mãos. Era caro, mas era da Maria de Lurdes Modesto, que eu desde criança adorava ver os programas dela na Tv. Ó pessoa feia este livro tem muita história a minha "estória" a minha essência, tem o meu cheiro (quem me conhece ou segue sabe que sempre tive uma grande pancada desde criança  de cheirar os livros, mal ma caia nas mãos novos ou usados) (adorava o início dos anos lectivos não pela escola em si, mas por ter livros novos para absorver aquele cheiro divino) :) Este, eu digo que tem o meu cheiro, pois eu continuo e cheirar quando toco nele e o cheiro transporta-me ao dia que o recebi. Esta edição a primeira, o livro não se podia abrir muito pois as folhas separavam-se. Não sei se as outras edições tiveram o mesmo "defeito" para mim o único. Ó pessoa feia, eu cozinho e sempre cozinhei, este livro andou sempre comigo aliás como todos, não tenho os livros para ficar bonito nas prateleiras ou fotografias, e sendo um livro de cozinha e tendo os anos que tem e uso sim eu uso, se faço alguma receita de algum livro o dito vai comigo para a cozinha. Sabe? Não estou aborrecida consigo pessoa feia, ao estar a tirar as fotos e escrever, fez-me (re)lembrar uma época bonita, e como vê pelas fotos o livro está muito mal tratado (tem razão) :), mas pode crer que foi por excesso de AMOR e nunca o contrário. Um livro pesado que caiu tantas vezes (na primeira vez, quase se desfez, a fita castanha que está na foto, foi a que eu tinha à mão, ajudou-me a (re)construir/colar o livro), tantas claras, natas bati e salpicou o livro, tantas receitas fiz e continuou a salpicar, e eu com AMOR limpava, mas, a mazela da caída no chão ou salpicos já estava marcado. Só posso dizer: Um muito obrigada por me ter descoberto, e talvez ao "destilar" a sua amargura para cima de mim, lhe faça bem. Se assim for, seja bem vinda/o, pois ajuda-me na minha estrada da vida a tentar compreender as pessoas menos boas (feias). Hoje mais nada lhe digo  (até acho que expliquei demais, mas deixe lá). :)  Fique bem e tente ser feliz ok? Ah, e já agora, se não se importa, vá chatear outra freguesia. ;)

Ah, na 3º foto tem um postit , o meu livro está velhinho com muito AMOR, mas sempre detestei dobrar as folhas para marcar, seja livros de cozinha ou outros. Uso marcadores, mas para marcar receitas "a fazer" em livros de cozinha, é mesmo com postist. :) Velhinho mas cuidado com AMOR. ;)

"Você sabe que está amadurecendo quando não deixa uma nota ruim ou uma pessoa amarga acabar com a sua paz de espírito.
Amadurecer é também ter experimentado sofrimento suficientemente verdadeiro para nos fazer capaz de aumentar diariamente o seu limiar. É concluir que o optimismo pode até nem sempre ajudar, mas nunca há de atrapalhar."

(Patrícia Pinheiro)


P.S. Eu sei! Pois o que eu queria aos vinte, não é o mesmo que quis aos 30,40,50 e 57 anos. :) O que aos vinte era uma dor de cabeça, com o caminhar da estrada da vida, deixou de ser, e hoje no alto dos meus 57 anos, é mais o que mando para canto (não estou para me chatear, mesmo). Há pessoal que adora saber tudo da vida dos outros, eu nem estou aí, há pessoal que para ficar bem na foto, mente e mente, para os outros pensarem que a culpa é da outra pessoa, e nunca dela/dele, nisso nem me interessa, e já passei por isso (eu devo ser a má da fita) não me interessa patavina mesmo o que falam nas minhas costas. Como eu sempre disse: "Ele" é meu amigo. ;)

Isabel de Miranda

"Pessoas frustradas, mal amadas, sem perspectiva de vida, ociosas, amargas, são SEMPRE infelizes, em suas vidas, e no que dizem."

(Aurilene Damaceno)