quinta-feira, agosto 04, 2016

PATANISCAS DE BACALHAU




Num dia que estava com umas saudades que doía. Mas doía mesmo. Lembrar-me dos sabores que só a minha saudosa mãe podia transmitir. Passado 8 anos da partida do meu pai, e 4 anos da partida da minha mãe, há dias, que bolas, dói mesmo. Continua a doer as saudades, eu sei que há pessoal que diz que a vida continua, e temos que levar a vida com alegria, as tristezas ficam para trás, eu era uma dessas pessoas, mas a idade e vida me ensinou: temos que levar a vida, ela continua com certeza, basta que DEUS me dá esse privilégio que é o acordar todos os dias para continuar a minha estrada da vida, só tenho a agradecer, mas não posso mudar a minha maneira de sentir a vida: Continuo a ter muitas saudades dos meus pais e digo: enquanto os tinha fisicamente comigo, nunca me passou se quer pelo pensamento as saudades que iria ter deles e a falta que me fariam. Achamos (achava) que o tempo cura tudo, uma grande treta, cura o que não interessa ou presta, agora o que é a nossa essência, essa fica marcada como se de uma tatuagem fosse, só que invisível (gravado no coração) AMO-VOS meus pais.❥ ❥ ❥

 Neste dia resolvi "tentar" de novo fazer as pataniscas da minha mãe. Eu sei que há imensas receitas, e que cada um diz que as suas são as melhores, acredito, mas para mim, pataniscas, só mesmo as da minha saudosa mãe, não há nem havia como as dela (ingredientes tudo a olho a minha mãe tinha as medidas nas mãos, nunca na minha vida vi a minha mãe utilizar uma balança, ou seja a balança que desde que me conheço por gente estava em cima do frigorifíco). Neste dia que foi um dia do mês de Junho, fui para a cozinha, tinha bacalhau de molho há dois dias para congelar, olhei para ele com os sacos na mão, e senti uma vontade enorme das pataniscas da minha mãe. Nunca consegui fazer iguais ou parecidas, e não sou só eu a dizer, mas neste dia de Junho do ano 2016, a minha saudosa mãe "esteve comigo", senti, que ao fazer o polme estava a lembrar-me deste dia as dicas que ela tão bem me transmitiu. Pela primeira vez os meus filhos disseram: Mãe, estão boas, parecem as pataniscas da avó. Coloquei as postas de bacalhau em sacos e congelei, mas deixei duas generosas posta para fazer as pataniscas, não pode ser só farinha, água e ovos. :)) Vamos ver como fiz.


Cozi as postas de bacalhau, depois de cozido, retirei peles e espinhas e esfarelei o bacalhau. Reservei.
Misturei a farinha Branca de Neve [uma Marca de Excelência, distinguida com o selo Superbrands](5 c. de sopa bem cheias) (sempre foi a farinha que a minha mãe usou) o sal e a pimenta e juntei a água de cozer o bacalhau (coada) até fazer uma mistura homogénea (não pode ficar liquida). Juntei uma cebola muito bem picada e envolvi muito bem. Fui adicionando os ovos um a um, batendo bem entre cada adição (3 ovos grandes). Depois juntei o bacalhau reservado, 1 c. de sopa de azeite, um molho de salsa picada, e fui batendo até a massa fazer bolhas. Rectifiquei o sal e pimenta. Fritei em azeite colheradas da massa, fui virando e escorri em papel absorvente. Servi acompanhado com um arroz de tomate. A receita já se encontra no blog. Obrigada minha mãe por tão preciosos ensinamentos que só mesmo uma mãe consegue.❥

Pestana
Bimby
LG
Ambar
Cartuxa
Vista Alegre
Branca de Neve
Continente
LIDL
Sport Zone
O Prego da Peixaria
Bom Petisco
CTT
EDP
Recer
Revigrés
Médis
Remax
BPI
Millennium BCP
Montepio
American Express
Multibanco
Jornal de Noticias
Público
RFM
RTP
TSF
Renascença
OPEL
Mercedes
Sapo
Sport Lisboa e Benfica
Sporting Clube de Portugal