quarta-feira, fevereiro 15, 2017

PAI, MEU QUERIDO PAI!



O dia de hoje (15) foi bem duro! Tinha que estar no Cemitério da Amadora às 9,30 h, mas como nunca sei como está o transito, sai de casa eram 7 horas. Sou uma mulher que detesto chegar atrasada seja para o que for, prefiro esperar a atrasar-me. Acho uma grande falta de respeito o atraso. Em 20 minutos coloco-me na Amadora, não havendo transito, mas como todos sabemos o transito é uma incógnita prefiro esperar.
 Meu querido pai, dia ⇛2 de Março⇚ faz 9 anos que partiste, hoje foi dia de eu e o meu irmão estarmos presentes para o levantamento dos teu ossos (levantamento da ossada). Pai, parece que foi ontem e já passou tantos anos, e a dor?  Não diminuiu nada. Aliás com a idade já tenho a certeza, até aumentou, as saudades continuam a doer muito. Há um mês o meu irmão. recebeu uma carta do Cemitério da Amadora, a avisar que tinha que estar alguém presente da família para ser feito o levantamento dos ossos. O meu irmão ligou-me logo a dizer, liguei para o Cemitério a confirmar que os dois filhos (eu e o meu irmão) estaríamos presentes. Perguntaram-me o que queríamos fazer  com os ossos? Ai pai, eu já estava em baixo, mas a falarem de ti como uma "coisa" doeu bem fundo! Eu não sabia o que responder, mas perguntei o que se costuma fazer? Ao qual me responderam que ou vai para a gaveta dentro de uma urna mas ao pé de outras, pois o espaço do Cemitério é reduzido, apesar de ser enorme, ou pode ser cremado, chegamos a um acordo pai, eu e o J. ias ser cremado. Mais uma vez estivemos juntos, nesta delicada missão. Pai, amo-te até um dia...

Nota: O meu pai! Esta foto tem 40 anos.