sexta-feira, novembro 04, 2011

OS MEUS PASTEIS DE TENTÚGAL







Claro(!) Eu digo: meus, pois além de ter sido eu a fazer, nem sequer fui ver a receita nos livros. Tenho sempre no frigorífico massa filo fresca, a massa quebrada, ou folhada. Mas essas(quebrada/folhada) mal compro congelo logo, depois é só retirar 15 minutos antes de usar, e aí já não ligo a datas de terminar o prazo. A massa filo nunca congelei não sei como fica, mas vamos continuar, estava eu a dizer: que tenho sempre a massa filo, pois uma das entradas que os filhos gostam e muito é queijo no forno, por esse motivo tenho sempre a dita! Como estava prestes a terminar o prazo, resolvi improvisar uns pasteis. Só que além do doce de ovos acrescentei 150 g de miolo de amêndoa moído com casca. Tinha sobrado desta receita, pois os frutos secos eu tenho sempre no congelador, e como a receita era só com 500 g e o saco tinha 650 g, sobrou as tais 150g, o que já não voltei a congelar! Agora vão dizer: a Isabel "surtou" congelar as amêndoas? Ok, então vou passar uma dica que para mim é preciosa: tudo o que seja, amêndoas, pinhão, noz, avelãs etc. Além que também tenho sempre congelado: passas, tâmaras, damascos, etc. Pois apesar de estar a 1 minuto da Tremoceira, por vezes não me apetece sair e assim, não deixo de fazer algo, só porque me falta os ditos. O congelar é porque ao retirar do congelador, passado 5 minutos está pronto a usar qualquer fruto seco, e nunca fica com aquele sabor a "ranço" que como muito bem sabem os frutos secos, mesmo muito bem condicionados ficam alterados passado um tempo da compra. Bem, espero que para quem me segue esta dica seja tão preciosa como é para mim! Se por ventura não vos interessar mandem para canto e esqueçam o que leram ok? Agora vamos à receita.





Ingredientes:
-1 embalagem de massa filo
-150 g de manteiga
-6 gemas
-250 g de açúcar
-100 ml de água
-1 vagem de baunilha
-150 g de miolo de amêndoa moído com casca (facultativo)

Primeiro faço o doce de ovos: coloco um tacho ao lume com a água, açúcar e a vagem de baunilha. Deixo fazer o ponto de pérola (leve), depois retiro o tacho do lume e deixo arrefecer um pouco. Quando arrefecido juntei as gemas batidas e envolvi muito bem com a vara de arames, levo de novo ao lume até cozer as gemas e fazer o ponto de estrada, nessa altura juntei o miolo da amêndoa e envolvi muito bem ainda ao lume, o que é rápido. Retiro o tacho do lume e reservei até arrefecer. Entretanto coloquei na banca da cozinha uma folha de papel vegetal. Ao lado coloquei a massa filo aberta com o seu próprio papel e cortei com uma faca ao meio (fazer folhas menores) e fui pincelando com a manteiga derretida uma a uma, e fui colocando umas por cima das outras no (papel vegetal) que tinha colocado para esse fim. Quando estão todas pinceladas, coloco uma folha em cima do próprio papel, coloco uma colher de (sopa) de recheio e enrolo estilo "pasteis de Tentúgal" e vou colocando num tabuleiro forrado com papel vegetal untado com manteiga. Quando terminei, levei ao forno pré-aquecido a 200º C, até ficarem loirinhos. Retiro do forno e polvilhei logo com açúcar em pó. Como a massa filo tinha 10 folhas mas eu cortei ao meio, deu 20 pasteis, e mais fossem(!) Foi estilo "vapt-vupt"(desapareceram) e eu nem provei...(Sorrisos) comentário do filho: brutalíssimo, não sei porquê é que quando era mais novo íamos a Tentúgal comer os afamados e eu dizia que não gostava...Pois, mãe (eu) como eu compreendo o filho.

"Cada dia é o dia do julgamento, e nós, com nossos actos e nossas palavras, com nosso silêncio e nossa voz, vamos escrevendo continuamente o livro da vida. A luz veio ao mundo e cada um de nós deve decidir se quer caminhar na luz do altruísmo construtivo ou nas trevas do egoísmo. Portanto, a mais urgente pergunta a ser feita nesta vida é:-O que fiz hoje pelos outros?"

[Martin Luther King]