sexta-feira, outubro 02, 2009

A RECEITA DE ESCABECHE DA MINHA MÃE COM CARAPAUS




Já há muitos anos que eu não comia peixe de escabeche!É um comer que tenho na minha memória de infância, lembro-me, que sempre gostei muito de peixe, mesmo em criança, e tenho na memória quando a minha mãe fazia peixe frito (qualquer qualidade) eu estava sempre à espera que sobrasse para a minha mãe no outro dia fazer escabeche. Ai, como eu gostava (e gosto) do escabeche da minha mãe...Resolvi comprar carapaus pequenos (ok, não sei quantos cm têm) foi os mais pequenos que encontrei. Arranjei os carapaus e temperei-os com sal e reservei durante 2 horas. Sacudi-os do sal e passei por farinha e fritei em azeite bem quente (com 1 alho para não queimar o azeite). Quando bem fritos retirei da fritura e coloquei-os dentro dum tacho de barro e reservei. Num tacho coloquei 2 cebolas, 4 dentes de alho cortado em rodelas bem fininhas, cubro com azeite e tempero com sal e pimenta e, deixo cozinhar sempre em lume baixo até a cebola estar translúcida. Aí junto à volta de 20 ml de vinagre de vinho branco. Deixo ferver em lume alto até harmonizar. Deito este preparado por cima dos carapaus fritos e deixo de um dia para o outro. Os carapaus vão harmonizar e (absorver) o molho de escabeche. (Claro que eu faço como a minha mãe, porque se formos ver os livros de cozinha cada qual tem a sua receita). Servi com batatas cozidas mas, até só com pão ou broa fica fantástico...

Notas: a minha mãe como todas as pessoas da idade dela passou a 2º guerra e ela disse-me que como os ingredientes faltavam a minha avó fritava o peixe (quando havia) em azeite e com o resto de azeite da fritura do peixe ela coava e era com esse azeite que se fazia o escabeche. Que eu acredito que deve ser uma maravilha...pois o sabor do peixe fica no azeite da fritura. Claro que eu não experimentei pois ela contou-me a história já eu tinha comido o escabeche. Mas, numa próxima vez vou experimentar concerteza. (Sim, porque agora é que tudo faz mal! Naquele tempo nem havia os 99% das doenças que existem agora)...






Uma mensagem que realmente só a mim me interessa! Mas como eu digo, este canto é meu, muito meu, eu posto o que me vai na alma no momento (dia) o caso de hoje. Infelizmente à procurar de uns documentos em casa da minha mãe, dou-me de caras com este livrinho de receitas da minha mãe. Que foi o único que eu lhe conheci. Achei engraçado e eu com a idade ligo muito mais às memórias de infância. E este livro é uma prova disso os riscos que vêm no livro foram feitos por mim claro devia ter uns 5 anitos e, as receitas que a minha mãe ia escrevendo. A minha mãe ia fazer um bolo e a Isabel puxava logo o banco da cozinha para o pé da bancada para ver e mexer na massa. Claro que a minha mãe não deixava e dava-me um papel e caneta para eu fazer riscos e contar (ok,a Isabel já gostava era de cozinha) e comecei a contar e riscar o livrinho da minha mãe (sorrisos). Mas, o mais importante disto tudo é que realmente com um livro tão pequeno (58 folhas) e insignificante a minha mãe era (é) uma cozinheira de mão cheia. Por esse motivo eu gosto de saber todos os segredos dela. Os grandes ou pequenos livros ajudam a retirar ideias, receitas etc. Mas se as pessoas não sabem, não gostam nem têm gosto (amor) por aquilo que fazem, nunquinha conseguem cozinhar nada de jeito. Nem com livros«XPTZ». Eu sempre adorei cozinhar e a minha irmã não,e fomos criadas da mesma maneira. aliás tenho 2 filhos ele adora cozinhar a filha foge da cozinha a sete pés não gosta mesmo.

Notas: Simplesmente obrigada MÃE pela mulher que sou!!!

P.S. Descobri esta foto minha com cinco meses no dia do meu baptizado (sorrisos) (ai que fofinha)...


Estou no Facebook aqui!