segunda-feira, outubro 31, 2011

PAVLOVA COM MARACUJÁ






Pavlova é uma receita que foi feita em homenagem a uma bailarina russa de nome: Anna Matveievna Pavlova é uma sobremesa neozelandesa(!)

Tenho sempre claras congeladas que sobram dos bolos ou sobremesas, o que congelo em tupperwares pequenos que tenho mesmo para esse propósito! Coloco 3 claras em cada assim sei sempre, a quantidade quando preciso, o caso desta sobremesa.

Resolvi fazer uma Pavlova de maracujá, suspiros não me apetecia fazer, já fiz vários bolos só com claras, Molotof é uma sobremesa que nunca foi dos meus "dreams" nem dos filhos Vamos à receita do merengue para o Pavlova:

Ingredientes:
-3 claras
-170 g de açúcar
-1 colher de (sobremesa) de vinagre
-1 colher de (sobremesa) de maisena
Bati as claras em castelo, quando batidas juntei metade do açúcar e voltei a bater até fazer picos. Juntei o resto do açúcar, farinha e o vinagre e envolvi muito bem com a vara de arames sem bater. Untei com manteiga um tabuleiro (daqueles de bolachas/biscoitos, sem laterais) e deitei o merengue no meio. Com uma colher de (sopa) fui espalhando até fazer um circulo. Levei ao forno a 150ºC, durante 1 hora. Ao fim desse tempo desliguei o forno e deixei o merengue arrefecer dentro. Entretanto fui fazer o meu creme pasteleiro, fiz o mesmo que nesta receita, só que fiz só metade. Quando feito e morno deitei no merengue (pavlova) e espalhei no meio sem deixar chegar às bordas. Depois bati 400 ml de natas com 3 colheres de (sopa) de açúcar baunilhado (o meu caseiro)até fazer picos. Cobri o Povlova. Depois é espalhar polpa de maracujá ao gosto de cada.

Notas: o merengue vai ao forno na 1º prateleira a contar de cima ok? Pelo menos no meu forno, pois como digo: ele é mesmo turbo...

Receita de creme pasteleiro:
Ingredientes:
-30 g de farinha
-100 g de açúcar
-1/4 l de leite
-3 gemas de ovo
-1 pitada de essência de baunilha
Com o batedor de varas de arames ou (fovet) como agora tem a mania de chamar. Para mim como sempre chamei vara de arames é assim que vai continuar a ser. Bati as gemas com o açúcar até ficarem esbranquiçadas. Envolvi de seguida a farinha junto com a baunilha e depois o leite quente. Levei ao lume batendo sempre com a vara de arames até levantar fervura e "ops" um creme pasteleiro caseiro e simples de se fazer, ok, pelo menos para mim.

Notas: eu quando digo: o meu açúcar baunilhado, é porque eu quando uso as sementes ou vagem de baunilha nalguma sobremesa, depois de devidamente lavadas e secas junto com outras que já tenho num tupperware com açúcar, conforme vou retirando açúcar acrescento mais, além que estou sempre a colocar mais vagens abertas ou não! Espero ter ajudado, nesta dica. Como eu costumo dizer: nada se deita fora tudo se aproveita.

P.S. Comentário do filho: brutalíssimo mesmo...


Hoje seria para postar algo em relação ao Dia das Bruxas (Halloween) mas, quem me segue, sabe que detesto dias dito especiais, e principalmente estes dias que não tenho na minha memória de criança nem de quando os filhos eram pequenos. Sei que este dia já vêm do tempo dos Celtas, mas para mim estes dias que de há uns anos para cá começaram e festejar é só Americanices o que eu acho uma "fantochada" como os outros fazem os Portugueses, toca a copiar e fazer também(...!)