sábado, abril 26, 2008

AGRADECIMENTO


Um muito obrigada pelo apoio e carinho que recebi durante a minha ausência. A minha mãe esteve 11 dias em minha casa, onde fui com ela 2 vezes ao Hospital Amadora Sintra. Está com uma Erisipela.  Infelizmente não estava a melhorar, eu preocupada dia 20 volto a ligar para o telm do médico e conto como ela estava. O médico diz-me para a levar ao Hospital dia 22 ou no dia 24, e leva-la à sala de pensos e mandar chama-lo. Fui logo dia 22 não ia esperar mais. Quando chego com a minha mãe à sala de pensos peço à enfermeira: se chamava o Dr. por favor! Claro, simpática como ela era (super antipática) disse logo: tinha muito que fazer e não podia chamar o Dr. eu como não deixo nada para trás, ligo ao médico à frente dela, e digo: já cheguei Dr.! Ele disse logo: vou já para ai. E assim foi, quando chegou a enfermeira tirou o penso ele disse logo: têm que ficar internada. (Claro, não é preciso dizer que a Sra. enfermeira ficou furibunda e mandou a boca só com conhecimentos é que fica internada.) Nesse dia o meu filho fez 24 anos e eu no hospital com a minha mãe (ainda não tinha feito o bolo dele, o marido tinha ido para CUBA dia 18 a filha a pensar no concerto de dia 25). Ufa, foi dose para leão. Mas como sempre tudo se resolve com AMOR, e paciência e "Graças a DEUS", eu tenho esses ingredientes. Mas como o dia ainda não estava completo, o filho nesse dia tinha que entregar um trabalho na faculdade, e eu disse: leva o carro da mãe, que eu fico com o teu. Mas, quando estacionei o carro no parque de estacionamento do Hospital Amadora Sintra e com a pressa de ir para o pé da minha mãe, nem reparei que deixei as luzes ligadas, passado 8 horas de estar dentro do Hospital com a minha mãe, quando chego e entro no carro, é mentira, ele não ligava, (bateria, tinha ido dar uma volta) pensei logo, não vou chatear o filho, ligo para o seguro, e eles que me mandem um reboque. Assim foi, e lá fui no reboque com o carro em cima para uma oficina perto de minha casa, deixei o carro na oficina e chamei um Taxi para ir para casa. Quando cheguei a casa fiz o bolo do filho. E disse logo à filha: não te preocupes vamos ao concerto, o tio vai visitar a avó e nós vamos ao teu concerto! Graças a DEUS tenho um irmão que me apoiou na doença do nosso pai e agora da nossa mãe. Abril, o mês que fui mais feliz na minha vida, ambos os filhos nasceram nesse mês, mas foi sempre em Abril que ambos os meus pais adoeceram (o meu pai foi operado em Abril de 2005 quando se descobriu que tinha um Cancro). A minha mãe, foi em Abril de 2008 que adoeceu com a Erisipela, que pouco tempo depois se soube que era uma consequência do Linfoma (Cancro) que tinha. Enfim... Mas continua a ser o mês que me realizou o meu maior sonho o de ser mãe.