segunda-feira, abril 29, 2013

BOLO DE ANIVERSÁRIO (DA FILHA] "CHAPÉU DE PALHA DE FLORENÇA"

     
Chapéu de Palha de Florença

Foi um pouquinho complicado escolher o bolo de aniversário da filha. Como sabem a filha fez anos ontem dia 28 de Abril, é verdade tenho dois filhos Taurinos :). Ao andar a pesquisar os meus livros para escolher o bolo, perdi-me neste bolo do livro IO APOLLONI "Os Doces da IO", um livro que me acompanha desde 1997, o ano de lançamento. É um livro muito completo e de todas as receitas que já fiz, fiquei muito satisfeita. Este bolo, despertou-me sempre curiosidade, mas fui deixando no tempo, é um bolo especial. Este ano foi escolhido, pois recordei-me que a filha tem paixão por chapéus, mas não de agora, desde criança, quando eu me esquecia ela própria me chamava a atenção e dizia:- Mãe, o meu papéu, sim, era como ela chamava o chapéu :). Sempre fui uma mãe muito vaidosa com os filhos, gostava que andassem sempre a condizer, pois, eu sei sou um pouquinho chata, mas sempre fui assim. Só que a minha filha era uma ação quase impossível, para eu gostar de a ver com chapéu, nunca gostei muito, aliás ainda hoje é muito difícil eu gostar de a ver com eles. Na nostalgia, estava a ver fotos dos filhos quando eram pequenos e vi esta foto da filha, tinha 14 meses, onde estava com um chapéu de palha, que parece impossível mas foi o único chapéu que eu (mãe), gostava de a ver, (a ver a foto), veio-me à ideia este bolo, que achei muito delicado para festejar um dia tão importante. O dia do nascimento da filha, o primeiro dia mais feliz da minha vida: quando me tornei: MÃE. Só digo: Obrigada filha por seres como és! AMO-TE para lá do Infinito.

 Vamos à receita que vão pensar: a Isabel é doida, (eu sei que sou) que bolo tão complicado, pois, mas podem crer que não foi nada. Fiz por etapas, e deu-me um prazer enorme.

Ingredientes:
-380 g de farinha
-200 g de fécula de batata
-12 g de fermento
-8 ovos inteiros+ 6 gemas
-340 g de açúcar
-250 g de chocolate preto (usei Cacao Sampaka)
-creme pasteleiro (ver página 19) preparado com 1 L de leite
-600 g de creme de manteiga (ver página 18) preparado com 250 g de manteiga
-600 g de massa de amêndoa (massapão/marzipan) (preparado com 300 g de amêndoa moída sem pele, 300 g de açúcar em pó, 2 claras, sumo de meio limão pequeno, 3 gotas de essência de flor de laranjeira e algumas gotas de corante amarelo)
-manteiga para untar as formas
-farinha para polvilhar as formas

Moer a amêndoa pelada no 1, 2, 3 (tem que ficar em pó). Passar no passador ou numa peneira a amêndoa moída e o açúcar em pó. Juntar as duas claras, o sumo de limão a essência de flor de laranjeira, as gotas de corante e amassar bem até ficar homogénea e com cor de palha. Embrulhar em película e guardar.
Com a ajuda de uma batedeira, bater os ovos e o açúcar durante 15 minutos, até ficarem bem fofos. Passar o preparado para uma tigela grande e envolver aos poucos a farinha com a fécula e o fermento através de uma peneira.
Untar duas formas, uma com 30 centímetros de diâmetro e outra de 22. Polvilhá-las com farinha. Retirar o excesso.
Com o preparado encher as formas até metade. Metê-las no forno pré-aquecido a 180º C, reduzindo para 160º C, na altura de enfornar. Cozer durante 30 minutos. Desenformar.
Virá-las ao contrário e deixar arrefecer.
Marcar com um lápis num papel um círculo de dez centímetros de diâmetro. Colocar em cima o bolo mais pequeno. Recortá-lo do tamanho do papel, com uma faca de serra.
Cortar horizontalmente os dois bolos e recheá-los com creme pasteleiro. Voltar a juntar as duas partes.
Colocar os restos do pão-de-ló do bolo pequeno em cima dele, dando-lhe a forma de uma calote.
Barrar os dois bolos com chocolate derretido em banho-maria. Para a massa da calote pegar melhor, pode pincelar com mais chocolate.
Guardar no frigorífico.
Preparar o creme de manteiga.
Barrar por completo os dois bolos com creme de manteiga com a ajuda duma espátula.
Voltar a pôr no frigorífico. Estender a massa de amêndoa com o rolo e com um véu de fécula de batata para não pegar.
Cobrir por completo os dois bolos.
Com a ajuda de um pouco de chocolate derretido que ajudará a colar, colocar o bolo mais pequeno em cima do maior. Já temos o bolo em formato de chapéu. Para acabar as decorações, pôr uma fita em volta da calote. Juntar flores e frutas, falsas ou verdadeiras.

Notas: coloquei verdadeiras, não gosto de nada que seja falso, e aí se incluí as simples flores.

Creme Pasteleiro:
Ingredientes:
-1 L de leite
-200 g de açúcar
-80 g de maisena
-8 gemas
-casca de limão
Num tacho, diluir a maisena com 2,5 dl de leite. Juntar as gemas e, com uma vara de arames, mexer. Pôr o resto do leite a ferver num púcaro, juntamente com o açúcar e a casca de limão. Quando estiver a ferver, deitar o leite no preparado das gemas e misturar rapidamente com a vara. Pôr ao lume, não parando de mexer. Quando estiver a ferver, retirar do lume e tirar a casca do limão. Passar por um passador com a ajuda de uma espátula. O creme fica mais liso e brilhante e, entretanto, arrefece. Para não formar crosta na superfície, mexer de vez em quando ou então cobrir com papel vegetal e fazer aderir ao creme quando estiver quente.

Creme de Manteiga:
Ingredientes:
-125 g de açúcar
-1 dl de água
-5 gemas
-250 g de manteiga amolecida
Pôr o açúcar e a água até atingir os 105ºC. Trabalhar as gemas com uma vara de arames. Deixar cair o açúcar em fio nas gemas, mexendo sempre até que fique espumoso e completamente frio. Trabalhar a manteiga até ficar cremosa. Sempre com a ajuda de vara de arames, juntar a manteiga ao preparado até ficar tudo homogéneo.

Notas: Já tinha feito a massa de amêndoa aqui! O creme pasteleiro, quem já provou os fofos de Belas, é tal e qual. O meu provador oficial (filho) mal meteu a primeira garfada na boca, comentou logo: parece o creme dos fofos de Belas. Agora a minha opinião! Penso que a cobertura de chocolate neste bolo era desnecessária. A textura do bolo, também não foi muito dos "dreams" do meu filho e minha. A filha disse: -Mãe, está delicioso...(sorrisos), pois ela é aquela Princesa que tudo o que a mãe faz é delicioso. Agora sabem o porquê de eu gostar da nota do filho: ele se gosta, diz, mas se não aprova algo também diz. O caso deste bolo, adorou a massa de amêndoa o creme de pasteleiro (creme dos fofos de Belas), mas foi da minha opinião a massa do bolo, não agradou, mesmo. Agora peço imensa desculpas de não ter fotos do interior do bolo, mas quando foi aberto, o tempo para a produção fotográfica foi nenhuma, aliás até me esqueci. :D

P.S. Recebo alguns emails, a perguntarem-me o porquê de eu não aderir à pasta de açúcar? Eu respondo sempre: simplesmente não gosto! É verdade, o meu palato, é mais refinado que o visual. Admiro o trabalho artístico que algumas pessoas tem, pois é um dom (não me refiro àquelas "palhaçadas" que abundam na blogosfera), e sim a trabalhados de verdadeiros artistas. É uma moda como outra qualquer...eu como não sou mulher de modas, nem sou de "carneiradas" não aderi, apesar de me terem oferecido um Workshop da mesma, não aceitei. Não ia aceitar só porque sim, não ia fazer uma coisa de que não gosto, só porque é moda ou porque é de graça. Nunca perderia o meu precioso tempo em algo que não gosto, nem me dá prazer. Fretes, não muito obrigada. A falar com o filho, disse: a mãe quando tiver tempo gostava era de fazer um de pastelaria de decoração de bolos, mas estilo moldagem de chocolate, saber as técnicas do mesmo. A fazer este bolo e a fazer a massa de amêndoa, pensei: mas que delícia que é o sabor da mesma, forrar o bolo com a mesma deu-me um prazer inigualável, coloquei o corante amarelo o tiquinho da ponta de uma faca, a massa de amêndoa sabe à mesma e nada a aquelas pastas artificiais.

    (A minha filha com 14 meses)