sexta-feira, Novembro 21, 2014

BOLO FOLHADO COM OVOS MOLES E DOCE DE GILA

 
 
Resolvi improvisar. :) Bolo Rei adoro, os meus filhos idem. O filho vinha jantar, pensei fazer peixe grelhado, precisava de um doce (adoçar a boca aos filhos). :) Ah  pois é, o filho até já gosta bastante de peixe, a filha é que não consigo convencer. Continua a torcer o nariz. Mas, voltando ao bolo rei, resolvi fazer um folhado. Tenho sempre massa folhada fresca do LIDL (a massa folhada que gosto) na arca como já informei no patamar das "dicas". Doce de gila tenho sempre todo o ano. Já moram algumas abóboras gilas na minha garagem para fazer mais doce. :) Para este tamanho de bolo utilizei 2 rolos de massa folhada. Vamos ver como fiz.

 
 
Ingredientes:
-2 massas folhadas frescas
-doce de ovos
-doce de gila
-amêndoa sem pele picada
-cerejas cristalizadas
-açúcar em pó q.b.
-1 gema



Ovos Moles:
-300 g de açúcar
-água
-3 gemas + 1 ovo

Coloco o açúcar no tacho e cubro o mesmo com água. Deixo ferver até ficar um ponto de pérola fino, quando atingido o ponto retiro o tacho do lume e deixo arrefecer. Quando frio junto as gemas batidas com o ovo, envolvo muito bem com a vara de arames e levo ao lume até engrossar (cozinhar os ovos) o que é rápido. Assim temos um creme de ovos moles caseiro (se é que posso ter a pretensão de dizer tal, pois os ovos vêm do Hipermercado. :)


Retirei as massas folhadas do congelador. Fiz os ovos moles e deixei arrefecer. Abri a 1º massa e coloquei o doce de gila  numa ponta da massa toda a largura da mesma. Cobri o doce de gila com ovos moles. Enrolei a massa (estilo torta recheada) cortei em bocados que coloquei num tabuleiro forrado com papel vegetal. Com os bocados fui dando o jeito do bolo rei (redondo). Fiz o mesmo à 2º massa folhada e completei o bolo.  Pincelei o bolo com a gema batida. Coloquei as cerejas e polvilhei com a amêndoa. Levei ao forno pré-aquecido a 200ºC, até aloirar. Depois de frio polvilhei com açúcar em pó. Comentário do meu provador oficial (filho): brutal!

Notas: Não utilizei outros frutos secos ou cristalizados, mas podem dar asas à vossa imaginação. Assim, fiz um "estilo" de bolo rei (só no feitio). Podem enrolar os rolos da massa recheada sem cortar em bocados. Eu ao cortar, foi mais para dar o estilo do bolo rei (rustico).

"A beleza ideal está na simplicidade calma e serena."
 
(Johann Goethe)

quinta-feira, Novembro 20, 2014

BOLACHAS DE CHOCOLATE



Mais uma receita de bolachas de chocolate, para juntar às outras receitas que existem no blog. O que já é muitas. Chocolate, ingrediente que eu e filhos adoramos.:) Eu que pensava que eram só alguns animais que estavam em vias de extinção, não, o chocolate daqui a duas décadas também dizem que está. Ok, daqui a 20 anos dizem que vai estar tão caro como o caviar. :( Caviar? Não gosto, a 1º vez que comi há 22 anos atrás pensei: Mas é esta iguaria que falam maravilhas e custa uma fortuna? Ok, não perco nada. :) Agora com o chocolate, a conversa é outra. Apesar que não me doa as costas, que estar a pensar daqui a 20 anos. Sofrer por antecipação, não é de todo a minha maneira de caminhar na vida. Quando chegar lá (se chegar) logo resolvo a situação. Deixar de comer chocolate é que nunquinha. :)


Ingredientes:

-300 g de chocolate negro (70% cacau) partido grosseiramente
-150 ml de natas
-200 g de açúcar amarelo
-100 g de manteiga
-190 g de farinha
-2 ovos
-60 g de cacau
-1 pitada de sal
-1 c. de chá de bicarbonato de sódio


Primeiro fiz um ganache com as natas e 200 g de chocolate. Reservei até arrefecer. Bati a manteiga com o açúcar, juntei os ovos um a um sempre a bater. Adicionei os secos e envolvi. Juntei o ganache e as 100 g de chocolate partido, envolvi delicadamente. Coloquei montinhos de massa em tabuleiros forrados com papel vegetal com a ajuda de uma colher de gelados espaçados uns dos outros. Levei a cozer ao forno pré-aquecido a 180ºC. É "vapt-vupt". No meu forno levou 12 minutos.
 
"Nunca tenha certeza de nada, porque a sabedoria começa com a dúvida."
 
(Sigmund Freud)

quarta-feira, Novembro 19, 2014

ARROZ DE MEXILHÃO


Quem me segue sabe que não gosto de marisco. Só gosto de mexilhão, lapas e ligueirão ou seja o marisco do pobre, e que felicidade a minha. :) Quando era criança o meu pai conhecia o dono do Restaurante Espelho D `Água na zona de Belém. Há 50/45 anos atrás era um restaurante e marisqueira muito consagrado, hoje já nem sei. O meu pai levava-nos muito lá a jantar, principalmente quando tinha cá pessoal do Norte ou outros amigos pois sendo amigo do dono, pensava que não seria enganado nas refeições. Havia semanas que era quase diariamente. Eu, nunca comia marisco, queria sempre o bitoque deles que naquela altura há mais de 45 anos atrás era de se comer ajoelhada, o molho hum, ainda tenho na memória. Depois, o que eu adorava era ir andar de barcos com os meus irmãos no lago. Nostalgia. Mas isto tudo porquê? É que há pessoal que fica com cara de parva/o quando digo que não gosto. Parece que é crime, ou então pensam que é "in" ser-se apreciador, ainda não me debrucei sobre o assunto para perceber. :) Pois é isso mesmo que pensaram, assunto que não me interessa. A minha filha gosta de marisco e come, o filho, também não é apreciador e ainda bem, pois é alérgico a algum marisco. Mas grande estória para dizer como fiz o meu arrozito de mexilhão, então vamos lá.

Ingredientes:
-1 kg de mexilhão (comprei em vácuo na MAKRO) um mexilhão que está aberto e cada bichito está em meia casca e água. Ou seja para mim gosto, sabe a mar.
-150 g de arroz (usei agulha, usem o que gostam)
-1 cebola
-3 dentes de alho
-1/2 pimento verde
-1 folha de louro
-1 ramo de coentros
-3 tomates maduros
-1 dl de azeite
-sal marinho
-80 ml de vinho-branco

Piquei a cebola, e os dentes de alho, juntei a folha de louro, cortei o pimento e quadrados pequenos e levei ao lume com o azeite. Quando a cebola estava a  murchar juntei os tomates pelados e cortados em cubos. Deixei apurar em lume brando. Nessa altura juntei o mexilhão com as cascas e borrifei com o vinho-branco, deixei cozinhar, depois retirei as cascas, juntei o triplo de água do arroz (medem por uma tigela ok?) Quando começou a ferver temperei com sal marinho e juntei o arroz e os coentros, mexi e deixei cozinhar, mexer de vez em quando. Quando estava al dente desliguei o lume e tapei. Acabou de cozinhar. Servi polvilhado com mais coentros. Eu e filha adoramos.


"Nunca é cedo para uma gentileza,
porque nunca se sabe quando
poderá ser tarde demais."
 
(Ralph Waldo Emerson)

terça-feira, Novembro 18, 2014

MOUSSE DE CHOCOLATE BRANCO COM PÊSSEGO


Tinha que fazer uma sobremesa. Pensei fazer mousse de chocolate que os filhos adoram. Mas, a M. não gosta de chocolate, só gosta de chocolate branco, chocolate? Pois! :) Resolvi fazer esta sobremesa que o filho disse: Brutal. Agora vou ter que repetir esta sobremesa noutra altura, pois para quem era a mousse de chocolate branco, chocolate? Não provou. :) Ah, o açúcar da sobremesa, só mesmo o do chocolate e fruta. Para mim o chocolate branco, é doce demais por isso torna-se enjoativo, não coloquei açúcar e não me arrependi.


Ingredientes:
-250 g de chocolate branco
-250 ml de natas
-1 lata de pêssegos em calda
-4 folhas de gelatina


Primeiro coloquei as folhas de gelatina numa tigela com água fria. Reservei. No liquidificador coloquei os pêssegos sem calda e triturei até ficar em polme.  Num tacho pequeno coloquei 4 c. de sopa do polme do pêssego e levei ao lume até aquecer, juntei as folhas de gelatina hidratadas e mexi muito bem para dissolver, juntei o resto do polme do pêssego e mexi muito bem. Deitei a mistura em copos até meio (+/-) e levei ao frigorífico até prender. Entretanto derreti o chocolate em banho-maria, deixei arrefecer um pouco. Bati as natas em chantilly e juntei o chocolate derretido, envolvi muito bem sem bater. Deitei a mistura do chocolate nos copos e polvilhei com amêndoa pelada e picada grosseiramente e levemente torrada
 
"Onde você se encontra hoje é onde você deve estar. Confie. Todos os lugares são apenas parte de uma viagem."
 
(Alejandro Jodorowsky)

segunda-feira, Novembro 17, 2014

ROJÕES



Rojões, adoro desde sempre. Quando era miúda, um fabricante do meu pai de Oliveira de Azeméis quando vinha a Lisboa trazia sempre, os tão afamados rojões. Sei que havia um molho, nunca toquei, pois ouvi a palavra sangue, foi mágico disse logo: não gosto, não quero e nem provei. :) Vamos ver como fiz.
 

Cortei a carne de porco aos bocados (uma peça do lombo). Coloquei a mesma numa tigela, juntei 5 dentes de alho picados, 1 folha de louro, 1 ramo de salsa, 2 c. de chá de cominhos, 1 c. de chá de colorau, sal marinho, pimenta-preta moída na hora e reguei com vinho-branco. Envolvi muito bem tapei e levei ao frigorifico de um dia para o outro. Numa frigideira grande coloquei banha e fritei os rojões (primeiro ficam brancos, mas logo que o vinho se evapore ficam douradinhos como se quer. Servi com puré de couve-flor e couve salteada.


Notas: As folhas de couve que vem agarradas à couve-flor? Eu gosto. Vejo o pessoal nas grandes superfícies a retirar as folhas todas, para quando pesarem a mesma, esta pesar menos. Eu sou o contrário, escolho sempre uma couve-flor com bastantes folhas, mesmo que estejam "quase" só os talos, mas adoro essas mesmas folhas/talos cozidas (os), ou salteadas (os). :) Cozi a couve-flor, quando cozida com um esmagador de batatas esmaguei, temperei com  flor-de-sal, pimenta-preta moída na hora, noz-moscada e um fiozinho de azeite, levei o puré ao lume até secar e ficar homogéneo. Retirei os rojões da frigideira e reservei. No molho que fiz os rojões deitei as folhas e talos de couve bem lavados e envolvi muito bem. Deixei cozinhar (saltear) com a frigideira tapada.

"Em caráter, em comportamento e em todas as coisas, a suprema excelência está na simplicidade."
 
(Henry Longfellow)

sexta-feira, Novembro 14, 2014

QUEIJADAS




Umas queijadas do meu livro "Tesouro da Cozinha Regional Portuguesa" de Maria Odete Cortes Valente. Uma receita da zona do Ribatejo (Casais). Que é uma maravilha. Vamos à receita.



Ingredientes: massa
-250 g de farinha
-65 g de manteiga
-cerca de 1 dl de água morna

Misturei a farinha com a manteiga e amassei com a água morna até ficar uma massa ligada. Estendi com a ajuda do rolo até ficar fina. Untei e enfarinhei as formas e forrei com a massa. Reservei.


Ingredientes recheio:
-500 g de açúcar
-600 g de queijos frescos sem sal
-6 gemas
-4 ovos
-90 g de farinha
Passei os queijos pela peneira, juntei o açúcar, as gemas e os ovos. Mexi muito bem até estar uma mistura homogénea. Juntei a farinha e envolvi muito bem. Deitei a mistura nas formas previamente forradas e reservadas. Levei ao forno pré-aquecido a 180ºC. O tempo de cozinhar e ficarem loirinhas.

"Determinação, coragem e auto confiança são fatores decisivos para o sucesso. Se estamos possuídos por uma inabalável determinação, conseguiremos superá-los. Independentemente das circunstâncias, devemos ser sempre humildes, recatados e despidos de orgulho."

(Dalai Lama)

quinta-feira, Novembro 13, 2014

BOLACHAS DE AVEIA COM PASSAS (NÃO VÃO AO FORNO)



Uma receita da minha amiga Manuela. Quando me falou de bolachas que não vão ao forno fiquei curiosa para experimentar. Só que em vez de colocar passas utilizei cranberries pois o filho não gosta de passas, e não demolhei. No final fiz tal e qual a receita. Deixei nos tabuleiros de um dia para o outro. Mesmo assim achei que ficaram um pouco húmidas, achei que era melhor dar um calorzinho no forno, só mesmo o tempo de aloirar. Quem gosta de bolachas mais macias, não leva ao forno. O meu filho, prefere mais crocantes.

Ingredientes:
- ½ chávena de manteiga
-2/3 chavena de leite evaporado
-1 ½ chávena de açúcar
- 1 chavena de passas (previamente demolhadas em água e secas com papel
      de cozinha) usei  (cranberries e não demolhei)
- 4 chavenas de flocos de aveia



. Colocar numa panela a manteiga, leite evaporado e açúcar e leve ao
  lume até ferver mexendo sempre. Deixe ferver um minuto.

.Retirar do lume e juntar as passas (cranberries).  Juntar os flocos de aveia
 mexendo para misturar tudo.

 .Deixe arrefecer.   Coloque colheradas de massa num tabuleiro untado
  com óleo. (Usei papel vegetal)

.Deixe endurecer.

 Opcional: Pode juntar canela ou qualquer especiaria á massa.

"Sê humilde para evitar o orgulho, mas voa alto para alcançar a sabedoria."
 
(Santo Agostinho)

quarta-feira, Novembro 12, 2014

BISCOITOS DE NATAS




Uns biscoitos de natas deliciosos. Rende 150. Ah, e comentários : brutal! :)


Ingredientes:
- 250 g de manteiga sem sal
- 200 ml de natas
- 200 g de açúcar
- 150 g de farinha de trigo
-430 g de farinha Maisena


Colocar os ingredientes numa tigela e bater muito bem. Fazer rolinhos de massa com a ajuda das mãos, cortar ao gosto e tamanho de cada, e levar ao forno pré-aquecido a 200ºC. Em tabuleiros forrados com papel vegetal, durante 15 minutos. Eu com a ajuda do garfo fiz um feitio em cada. Façam ao vosso gosto. Colocar no frasco ou caixa dos biscoitos. Duram muito tempo, não o caso destes, que na casa do filho: Foi um "ver se t'avias", aliás como todas as bolachas, cookies, biscoitos etc. :)

"Não é a aparência, é a essência. Não é o dinheiro, é a educação. Não é a roupa, é a classe."
 
(Coco Chanel)

terça-feira, Novembro 11, 2014

GELADO DE NUTELLA E QUEIJO QUARK



Gelados? Nem vale a pena ser repetitiva...adoro. Resolvi fazer de Nutella. Vamos ver como fiz.


Numa tigela bati 3 gemas com 150 g de açúcar branco fino, até ficar uma mistura esbranquiçada. Juntei 500 g de queijo Quark natural e envolvi muito bem. Deitei a mistura na sorveteira a trabalhar. Ao fim de 20 minutos fui juntado a Nutella 3 c. de sopa bem cheias e deixei o gelado envolver a própria. Ao fim de 5 minutos o gelado estava pronto.

"Meu gosto é muito simples. Gosto do melhor de tudo." :)
 
(Oscar Wilde)

segunda-feira, Novembro 10, 2014

FRANGO ASSADO COM MEL E CARIL




Mel e caril, o filho adora o agridoce. Vinha jantar, resolvi fazer um frango do campo (para mim é só frango de aviário de 5 estrelas), mas, prontes dizem que é, eu finjo que acredito. :) Campo, para mim é liberdade, se os franguitos estão presos mesmo que tenham mais espaço, não podem fazer o que lhes apetece, é sempre aviário. Sou a eterna chatinha, mas é assim que vejo as coisas. Vamos lá ver como fiz, pois isso é que interessa ou não. :)

 
Pedi no talho para cortar o frango do campo ou não, em bocados médios. Lavei o frango e sequei com papel de cozinha. Numa tigela coloquei 60ml de mel,1 c. de sopa de massa de caril, 60 ml de molho teriyaki e 50 ml de óleo de amendoim. Envolvi muito bem a mistura e pincelei o frango com a mistura. Levei o tabuleiro ao forno a 180ºC. Servi com batatas doces e abóbora porqueira assadas no forno com o mesmo tempero. Acompanhou uma salada de alface e tomate coração de boi, servida à parte (os meus filhos gostam da salada em tigelas)
 
 
"Sede como os pássaros que, ao pousarem um instante sobre ramos muito leves, sentem-nos ceder, mas cantam! Eles sabem que possuem asas.
 
(Victor Hugo) 
 

sexta-feira, Novembro 07, 2014

CUPCAKES DE BAUNILHA




Mais uns Cupcakes que tem andado "fugidos" no Cozinhar com os Anjos.:)


Ingredientes:
-200 g de farinha de trigo
-1 1/2 c. de chá de fermento em pó
-1/4 de c. de chá de sal
-185 g de açúcar
-90 g de manteiga sem sal à temperatura ambiente
-1 ovo grande, mais uma clara à temperatura ambiente
-1 c. de chá de essência de baunilha
-125 ml de leite gordo



Aqueça previamente o forno a 180ºC e coloque a grelha a meio. Forre um tabuleiro com 12 taças para queques com forminhas de papel. Numa tigela, misture a farinha, o fermento em pó e o sal. Numa tigela grande utilizando a batedeira elétrica na velocidade média, bata o açúcar com a manteiga até obter um creme leve e fofo (2 a 3 minutos). Adicione o ovo e a clara de ovo, um de cada vez, batendo bem a baixa velocidade, após cada adição. Em seguida, junte a baunilha. Adicione a farinha em 3 vezes e alterne com o leite, batendo sempre a baixa velocidade, apenas até combinar. Raspe a superfície lateral da tigela se necessário. Bata na velocidade média/alta até não encontrar vestígios de farinha (cerca de 30 segundos). Não bata demasiado. Divida uniformemente a massa pelas forminhas para queques, enchendo cada uma a três quartos. Leve ao forno até dourarem ligeiramente; quando picar o centro do cupcake com um palito e este sair limpo (18 a 20 minutos), está no ponto. Deixe os cupcakes arrefecerem no tabuleiro sobre uma grelha de arrefecimento durante 5 minutos. Transfira os cupcakes para a grelha e deixe-os arrefecer completamente (cerca de 1 hora). Só enfeitar com o frosting quando estiverem completamente frios. Enfeitar a gosto.


Frosting de creme de queijo:
-300 g de açúcar em pó
-50 g de manteiga sem sal à temperatura ambiente
-125 ml de queijo creme (frio)

Com ajuda da batedeira elétrica, a uma velocidade média, bata o açúcar em pó juntamente com a manteiga até estar tudo incorporado. Junte o queijo creme e bata a uma velocidade média durante 4 minutos, até estar bem fofo, depois junte o corante e bata até envolver bem a cor (o que é rápido). Não deixe bater demais, para que o frosting não perca a consistência.

Notas: Metade dos cupcakes ficaram com o frosting simples noutros coloquei um tiquinho de corante azul.

"Mantenha os seus olhos nas estrelas e os seus pés na terra."
 
(Theodore Roosevelt)

quinta-feira, Novembro 06, 2014

IL DIVO




Mais um dia de mulheres, mais um dia de mãe e filha. :) Ah, sim, ontem foi dia do concerto IL DIVO. Foi um dia passado no Parque das Nações e Centro Comercial Vasco da Gama almoçamos, lanchamos, passeamos fizemos compras e jantamos por lá. Depois, foi "descansar" a vista, ouvidos e alma a ouvir os meninos no MEO Arena. Já tinha ido ao anterior com a filha. Adorei ou antes adoramos. :) Crise? Hum, não me apercebi da dita, estava esgotado, ainda bem que o pessoal tem estes momentos para "lavar" a alma.

P.S. Fotos ontem queria era ver e ouvir, estava sem apetites de fotos. Tirei poucas e diga-se de passagem: péssimas. Até do "meu" Carlitos. :)


quarta-feira, Novembro 05, 2014

COOKIES DE MANTEIGA DE AMENDOIM



Mais uma cookies de manteiga de amendoim para acrescentar a outras receitas que já estão no blog.

 

Ingredientes:
-1/2 chávena de manteiga sem sal
-1 chávena de manteiga de amendoim
-1 chávena de mel
-2 ovos
-2 c. de chá de baunilha líquida
-2 chávenas de farinha
-1 chávena de açúcar
-1 1/2 c. de chá de bicarbonato de sódio
-1 c. de chá de fermento em pó
-1 pitada de sal
-açúcar para envolver os cookies
-chocolate preto partido aos bocados ou pepitas


Coloquei as manteigas e mel numa tigela. Bati com a batedeira até ficar uma mistura homogénea. Juntei os ovos batidos com a baunilha e continuei a bater até a misturar bem. Juntei os secos(previamente misturados numa tigela) pouco a pouco e bati numa velocidade baixa até estar tudo envolvido. Dividi a massa. Numa metade juntei o chocolate partido grosseiramente. Com a ajuda de uma colher de sobremesa, fui retirando massa fiz bolas que rolei no açúcar e coloquei em tabuleiros forrados com papel vegetal. Com a ajuda dum garfo achatei. Levei ao forno pré-aquecido a 180ºC 12 minutos no meu forno. O tempo de aloirarem. Deu 60 cookies.

Notas: Como não tinha pepitas coloquei chocolate. As minhas pepitas só gosto destas, quando não tenho, prefiro colocar chocolate partido (picado com a faca). Não compro daquelas marcas que falam maravilhas (não vou dizer marcas) e que se vende nas grandes superfícies. Não gosto! Comprei um pacote para experimentar, não gostei mesmo do sabor. :) Sim, não estou na blogosfera para dizer maravilhas do que não gosto, não uso ou não concordo.


" Quando a alma está feliz,
a prosperidade cresce,
a saúde melhora, as amizades aumentam,
enfim, o mundo fica de bem com você...
O mundo exterior reflete o universo interior".

(Mahatma Gandhi)

terça-feira, Novembro 04, 2014

MÃE, 3 ANOS DE GRANDES SAUDADES


Mãe, mais um ano se passou desde a tua partida. A vida continua como sempre ouvi dizer, é uma verdade, mas continua a doer e muito. Continuo a falar contigo diariamente, não fisicamente, mas mentalmente (espiritualmente), pois sei, que continuas a proteger-me como sempre o fizeste. Obrigada mãe, pela mulher que sou, obrigada pela mãe que sou. Sabes? Hoje não tenho muito para te dizer, pois já sabes tudo. Mas, nunca é demais dizer: Amo-te para todo o sempre e até aquele dia que te vou abraçar para toda a eternidade, pois acredito!

"Mãe é o amigo mais verdadeiro que temos quando a dificuldade dura e repentinamente cai sobre nós; quando a adversidade toma o lugar da prosperidade; quando os amigos que se alegram conosco nos bons momentos nos abandonam; quando os problemas complicam-se ao nosso redor, ela ainda estará junto de nós, e se esforçará através de seus doces preceitos e conselhos para dissipar as nuvens de escuridão, e fazer com que a paz volte aos nossos corações."
 
(Washington Irving)

segunda-feira, Novembro 03, 2014

PURÉ DE AIPO E DE BATATAS



Este puré saltou do meu livro "Doze meses de cozinha" que me acompanha há muitos anos. O meu saudoso pai ofereceu-me tinha eu 14 anos.

"O aipo, ou aipo-nabo, é um legume arredondado, mais popular em França e na Itália do que em Portugal. Esta variedade, cujas folhas e caules podem ser usadas para temperar sopas, guisados e estufados, tem um sabor muito intenso."


Ingredientes:  ( para 4 pessoas)
-500g de aipo (aipo-nabo/cabeça de aipo)
-200 g de batatas
-60 g de manteiga ou margarina (usei manteiga sem sal)
-1,5 dl de leite
-1,5 dl de natas
-sal e pimenta (usei pimenta-preta moída na hora)

Descasque  o aipo, corte-o em fatias com 1 cm de espessura, aproximadamente e coloque-as numa caçarola cobertas com água temperadas com sal. Leve a cozer, mantendo a fervura moderada, cerca de 30 minutos. Entretanto, leve também a cozer em água temperada com sal as batatas, previamente descascadas e cortadas em bocados. Depois de ambos os legumes cozidos escorra-os muito bem e passe-os pelo passe-vite para dentro de uma caçarola. Junte a manteiga, misture e adicione, a pouco e pouco o leite quente. Junte as natas e tempere com sal e pimenta. Conserve sobre  lume muito brando, durante mais 3 a 4 minutos. Sirva num prato aquecido.

Notas: Servi em tigelas e polvilhei com pimenta-preta moída. Este aipo-nabo encontram com o nome de cabeça de aipo, no Jumbo, junto à banca de legumes e frutos tropicais. As cabeças são grandes a minha tinha 1,150 Kg, nesta sopa só precisei de metade. A outra metade, fiz um puré só com batata, cebola, bastante alho, sal marinho e azeite. Qualquer dos purés ficam brutais.

"Quem sonha de dia tem consciência de muitas coisas que escapam a quem sonha só de noite."
 
(Edgar Allan Poe)

sexta-feira, Outubro 31, 2014

PAVLOVA BANOFFEE


Tinha que fazer uma sobremesa para levar para casa do filho, resolvi fazer uma pavlova que o filho adora. Quem me segue sabe que já são muitas pavlovas que passaram por aqui. Desta vez resolvi fazer com o recheio Barnoffe. Deliciei-me a ouvir o comentário do meu provador oficial (filho): Brutal!

Ingredientes do merengue:
-3 claras
-170 g de açúcar
-1 colher de (chá) de vinagre
-1 colher de (chá) de Maizena

Bati as claras em castelo, quando batidas juntei metade do açúcar e voltei a bater até fazer picos. Juntei o resto do açúcar, farinha e o vinagre e envolvi muito bem com a vara de arames sem bater. Untei com manteiga um tabuleiro (daqueles de bolachas/biscoitos, sem laterais) e deitei o merengue no meio. Com uma colher de (sopa) fui espalhando até fazer um circulo. Levei ao forno pré-aquecido a 150ºC, durante 1 hora. Ao fim desse tempo desliguei o forno e deixei o merengue arrefecer dentro do (forno).
 
 
 Recheio banoffee:
-1 lata de leite condensado cozido
-2 bananas
-sumo de limão
-300 ml de natas para bater
 
Montagem: Coloquei a pavlova num prato. No meio coloquei o leite condensado cozido previamente batido. Cobri com rodelas de bananas previamente regadas com sumo de limão. Cobri com chantilly que fiz com as 300ml de natas e reguei com o restante leite condensado.

"O sucesso nasce do querer, da determinação e persistência em se chegar a um objetivo. Mesmo não atingindo o alvo, quem busca e vence obstáculos, no mínimo fará coisas admiráveis."

(José Alencar)