terça-feira, janeiro 27, 2015

FRITOS DE CENOURA


Continuando com os doces de Natal que reinaram na nossa mesa. Fritos de cenoura, não pode faltar na nossa mesa. O meu filho adora. Esta receita já tinha feito, só acrescentei mais dois ovos e não me arrependi.


Ingredientes:
-1,5 kg de cenoura
-200 g de farinha
-60 g de açúcar
-6 ovos
-1 laranja
-1 colher de (sobremesa) de fermento
Cozi a cenoura com a casca da laranja. Quando cozida escorri e retirei a casca da laranja. Com a varinha fiz um puré que depois coloquei dentro de um pano de cozinha (lavado, claro!) Fechei o pano e torci muito bem para sair ainda o excesso de água. Numa tigela coloquei o puré de cenoura, juntei o açúcar e mexi muito bem. Juntei o sumo da laranja, e os ovos batidos, bati tudo muito bem com a vara de arames, quando bem envolvido juntei a farinha misturada com o fermento. Voltei a bater até estar tudo bem envolvido. Numa frigideira com o óleo quente fui fritando colheradas de (sopa) com a mistura. Fui virando, quando loirinhos, retiro e coloco numa travessa com papel de cozinha para absorver a gordura. Depois passei por uma mistura de açúcar e canela. Ok, ficaram brutalíssimos, dito pelo meu provador oficial (filho).

"Ter fé é assinar uma folha em branco e deixar que Deus nela escreva o que quiser."

(Santo Agostinho)

segunda-feira, janeiro 26, 2015

BORREGO ASSADO


 
Como disse aqui apareceu-me meio borrego em casa. Desta vez, resolvi fazer a perna assada com o tempero normal (para mim) e simples mas que ficou uma delicia. O tempo de cozedura deste borrego caseiro é "quase" o tempo da cozedura das batatas... o sabor e textura é divino. Vamos ver como fiz.




Cortei a perna em bocados (esta, a parte pior para mim e vizinhos :) sim, não tenho jeito nenhum para talhante, então as marteladas que dou nos ossos são sempre superiores às necessárias, e o barulho idem aspas...) Numa tigela coloquei 5 dentes de alho descascados e picados, 1 c. de sopa bem cheia de massa de pimentão caseiro (este foi-me oferecido), 2 folhas de louro esfareladas e umas pedrinhas de sal marinho reguei com azeite e misturei muito bem. Coloquei num tabuleiro de barro os bocados da perna do borrego, e envolvi no preparado, borrifei com vinho branco. Deixei na marinada de um dia para o outro. Levei o tabuleiro com o borrego, ao forno pré-aquecido a 180ºC. Fui virando e regando com o molho. Ao fim de 20 minutos juntei as batatinhas e envolvi no molho. Deixei assar. Servi com uma salada verde.

"O fraco jamais perdoa: o perdão é uma das características do forte."
 
(Mahatma Gandhi)

sexta-feira, janeiro 23, 2015

BOLACHAS DE MANTEIGA [MAIS UMA RECEITA]

 
Umas bolachinhas que são uma delicia. O feitio em estrela foi alusivo ao mês de Natal Dezembro. Foram feitas no início de Dezembro. Vamos ver como fiz.


Ingredientes:
-300 g de farinha
-100 g de manteiga (usei sem sal)
-200 g de açúcar
-1 pitada de sal
-1 ovo grande



Amassar os ingredientes muito bem. Repousar no frigorífico durante 1 hora. Esticar a massa com o rolo e cortar as bolachas, cortei com o corta bolachas de estrelas. Levar a cozer em tabuleiros forrados com papel-vegetal  (não precisa de espaçar as bolachas) a forno pré-aquecido a 180ºC, o tempo de aloirar. (12 a 15 minutos) podem servir simples ou cobertos com açúcar em pó. Deu 50 bolachinhas. Brutais, comentário do meu provador oficial (filho) :).

"Rugas, são como os rios numa floresta. Trazem beleza, tranquilidade e definem os caminhos. São a comprovação que houve uma vida repleta de diferentes momentos".
 
(Luiza Gosuen)

quinta-feira, janeiro 22, 2015

BOLACHAS DE CANELA


Mais uma receita de bolachas, esta estava em rascunho há uns meses. :) Umas bolachas de manteiga com canela. Um sabor muito subtil à especiaria. Vamos à receita.


Ingredientes:
-125 g de manteiga (usei sem sal)
-90 g de açúcar
-1 gema grande ou duas pequenas
-190 g de farinha
-1 pitada de sal
-1c. de sopa de canela


Bati a manteiga com o açúcar. Juntei a gema e bati até ficar uma mistura homogénea. Juntei a canela, sal e farinha e envolvi muito bem. Estiquei a massa e cortei as bolachas que carimbei com um dos carimbos que tenho.

"A vida é uma grande universidade, mas pouco ensina a quem não sabe ser um aluno..."

(Augusto Cury)

quarta-feira, janeiro 21, 2015

AZEVIAS DE BATATA DOCE E AMÊNDOA EM MASSA FOLHADA




O registo, continua em doces de Natal, como já passou, fica já para o próximo. :) No Natal fiz as "azevias" de  amêndoa e chila.  No Ano novo não me apetecia fazer fritos e resolvi fazer um "estilo" das azevias com amêndoa, utilizando a massa folhada do LIDL que quem me segue, sabe que é a que gosto.


Ingredientes:
-massa folhada do LIDL (usem a que mais gostam)

Para o recheio:
-meio quilo de batata doce
-400 gr de açúcar
-500 gr de água
-1 pau de canela
-casca de laranja
-200 gr de miolo de amêndoa
-4 gemas
Leva-se ao lume a água e o açúcar com a casca de laranja, e o pau de canela. Logo que esteja em ponto de fio, junta-se a batata cozida e reduzida a puré, as amêndoas peladas e moídas na máquina e as gemas previamente batidas. Logo que estejam cozidas (gemas) retira-se do lume. Arrefece e pode começar a fazer as azevias.

Abri os rolos da massa e cortei em quadrados. Coloquei recheio no meio e fechei. Cortei em redondo. Levei as azevias (falsas) pinceladas com água ao forno, em tabuleiros forrados com papel vegetal. O tempo de doirar e folhar. Retirei do forno com uma espátula e envolvi em açúcar e canela (o cheiro do Natal) :) Ficaram brutais...

"De que me adianta temer o que já aconteceu?
O tempo do medo já aconteceu, agora, começa o tempo da esperança."
 
(Paulo Coelho)

terça-feira, janeiro 20, 2015

BACALHAU COM TODOS ESCONDIDO

 
 
Neste dia a falar com o chefe Madeira sobre a nossa tão rica gastronomia, deu-me ideia para este bacalhau. Registei. :) Fiz e simplesmente adorei. Uma receita para se fazer com antecedência e na altura colocar no forno. Usem os legumes à vossa escolha. 1 posta de bacalhau por pessoa.


Cozi as folhas da couve portuguesa inteiras temperadas com sal marinho. Claro, que foram previamente lavadas. :) Depois de cozidas deixei a escorrer. Num tacho cozi batatas doces (podem usar a batata normal, eu usei a batata doce, pois prefiro), cenouras, ovos e o bacalhau. Quando estava tudo cozido escorri cortei as batatas, cenouras e os ovos em cubos. Coloquei numa tigela, retirei as espinhas ao bacalhau e juntei aos ingredientes anteriores. Piquei dois dentes de alho, temperei com pimenta preta moída na hora e reguei com azeite virgem extra envolvi e reservei. Coloquei as folhas abertas na tábua de cozinha e coloquei a mistura no meio. Enrolei as folhas e fechei bem para não sair o interior. Coloquei num tabuleiro de barro e reguei abundantemente com azeite virgem extra, levei ao forno pré-aquecido a 180ºC. Um rolo de couve por pessoa.

"Quanto não ganha em tranquilidade quem não se preocupa com o que o vizinho diz, faz ou pensa, mas apenas com os seus próprios atos."

(Marco Aurélio)

segunda-feira, janeiro 19, 2015

FILHOSES DE ABÓBORA CHILA (GILA)




Ainda continua as iguarias que passaram pela nossa mesa de Natal e Ano Novo, não estou atrasada, estou adiantar-me já para o próximo Natal. :) A falar com a minha amiga A. que é da Zona de Cinfães, disse-me que é costume fazerem umas filhoses de abóbora chila (gila), fiquei curiosa. Acabei o meu doce de chila (gila) estava na altura de fazer mais. Tenho aqui e aqui a receita. Não pode faltar na minha casa este doce, pois utilizo muito em sobremesas. Mas recuando no texto, estava a escrever sobre as filhoses de chila (gila). Fui à garagem e trouxe para cima (casa) 3 abóboras (ainda moram lá mais), fiz o estardalhaço que se faz para partir as ditas sem metal (sim, reza a história, que não pode ser usado nada de facas ou metal) é sempre catrapum no chão, as vezes que forem necessárias para as meninas (abóboras) se  esbardalharem (coloco as abóboras uma a uma naqueles sacos de plástico pretos do lixo ok, convém serem limpos (novos) e depois faço esse espetáculo na varanda da cozinha, não faço na cozinha, pois pode algum azulejo estar em falso e lá parto eu o dito o que não convém) :).   O que na primeira vez que fiz o doce, como foi só uma abóbora fiz na cozinha e sem saco, o chiqueiro foi mais que muito para o meu gosto, agora faço sempre como atrás descrevi. Vamos seguir. Depois de tratadas as meninas (abóboras) (limpas de fios amarelos e sementes e bem lavadas até a água sair límpida sem espuma)  cozi as mesmas. Depois de escorridas e desfiadas, enchi uma chávena almoçadeira de abóbora (300g) o resto fiz o doce como costumo fazer. Agora vamos ver como fiz estes (poucos) filhoses de abóbora chila (gila).


Ingredientes:
-1 chávena almoçadeira se chila (gila) cozida (pesei deu 300g)
-2 c. de sopa bem cheias de farinha
-2 ovos
-1 c. de sopa de açúcar (usei, não costumam usar)

Numa tigela coloquei a abóbora chila (gila), farinha, açúcar e juntei os ovos batidos. Envolvi tudo muito bem e fritei em óleo quente colheradas de sopa da massa. Fui virando até ficarem loirinhos. Depois é escorrer em papel de cozinha e envolver em açúcar e canela. Ok, gostei, apesar de nas fotos que pesquisei aparecerem uns filhoses estilo pataniscas (espalmadas), acredito que são essas as verdadeiras, pois os fios da abóbora devem ficar estaladiços, se quiserem que fiquem espalmados é só acrescentar mais um ovo à quantidade que escrevi. Ok? Açúcar a minha amiga disse que não leva, mas eu coloquei e não me arrependi, pois gostei.

Nascer todas as manhãs:

Apesar da idade, não me acostumar à vida. Vivê-la até ao derradeiro suspiro de credo na boca. Sempre pela primeira vez, com a mesma apetência, o mesmo espanto, a mesma aflição. Não consentir que ela se banalize nos sentidos e no entendimento. Esquecer em cada poente o do dia anterior. Saborear os frutos do quotidiano sem ter o gosto deles na memória. Nascer todas as manhãs.

(Miguel Torga, in "Diário (1982))

domingo, janeiro 18, 2015

FERMENTO


(Imagem retirada da net)
Tenho recebido vários e-mails ou mensagens via Facebook, a perguntarem se as bolachas que faço é com farinha com fermento. No caso das receitas de bolachas/biscoitos/cookies que eu não menciono fermento.

Respondo sempre, mas penso que é melhor passar a mensagem. Eu Isabel, nunca uso farinha com fermento, se a receita pede a farinha com fermento, eu coloco a farinha e adiciono o fermento à parte. Não vou falar da farinha com o dito, pois nunca foi dos meus "dreams" nunca usei, nem penso usar e o mais importante, não percebo nada da dita. :) Mas, usem a que mais gostam e estão acostumadas (os). Quando eu não menciono na receita fermento, é porque a receita não leva mesmo o dito ok? Obrigada, por estarem aí sempre atentas (os). Eu estou sempre deste lado para alguma dúvida, que eu saiba e possa ajudar. Ok?

sábado, janeiro 17, 2015

SAMSUNG NX 300 MIMO DOS FILHOS #10



Há pouco tempo, tinha comentado com os filhos que queria investir numa máquina fotográfica, não foram de modas, investiram eles e ofereceram-me como presente nos anos. E uma cor que adoro: branca.  Agora é a Isabelita treinar, ver como funciona etc. Mas nos próximos dias não vou cozinhar nada de novo, primeiro tenho que ir aos treinos (da máquina), aí sim, já posso cozinhar (receitas novas e fotografar). :) Mas não se afligem, há muito em rascunho para alimentar o blog por uns tempos. :)

sexta-feira, janeiro 16, 2015

BOLO DE CHOCOLATE COM MOUSSE DE AMENDOIM E PRALINÉ [MEU ANIVERSÁRIO]



O meu aniversário, tinha que ter um bolo à minha altura. :) No Verão estava na fila do Pingo Doce e despertou-me a atenção a revista deles "Sabe bem" espreitei, achei baratinha €1 e trouxe. Este bolo ficou-me logo debaixo de olho, mas ficou guardado no tempo. Agora foi o que escolhi para o meu aniversário. Não me arrependi. O meu provador oficial (filho) disse várias vezes enquanto comia: brutal! :)


Fiz só metade da receita, e utilizei 2 formas de 23 cm, a receita pede 3 formas de 20 cm.


Ingredientes:
-12 ovos (7)
-600 g chocolate de culinária (300 g usei Valrhona 70% de cacau)
-60 g de cacau em pó (30g)
-200 g de manteiga sem sal (100 g)
-200 g de natas para bater (100 g)
-300 g de farinha (150 g)
-1 c. de sobremesa de fermento em pó

Untei com manteiga 2 formas redondas de 23 cm de diâmetro, forrei os fundos com discos de papel vegetal. Liguei o forno a 180ºC.

Parti os ovos e separei as gemas das claras. Bati as claras, juntamente com 50g de açúcar e continuei a bater até estarem bem firmes. Parti o chocolate em quadrados pequenos, juntei a manteiga e as natas derreti o chocolate em banho-maria. Bati as gemas com o restante açúcar até estarem fofas e esbranquiçadas. Mexi o chocolate até estar completamente derretido, adicione-o à gemada e misturei bem.

Peneirei a farinha com o fermento e cacau em pó e envolvi muito bem na massa alternando com as claras em castelo sem bater. Distribui a massa pelas formas e levei ao forno cerca de 40 minutos (teste do palito).

Desenformei os bolos sobre uma rede e deixei arrefecer.

Cortei cada bolo ao meio para rechear.


Mousse de amendoim
-640 g de manteiga de amendoim (320 g)
-240 g açúcar em pó(120 g)
-400 g de natas para bater (200 g)

Bati a manteiga de amendoim com o açúcar em pó até obter um creme homogéneo.

Bati as natas, previamente colocadas no frigorífico, até espessarem.

Envolvi as natas com o preparado de manteiga de amendoim misturando delicadamente.

Quando fiz o preparado que ficou homogéneo e de cor uniforme, reservei no frigorífico.

Praliné de amendoim.

-150 g de açúcar
-0,5 dl de água
-100 g de amendoim sem sal tostado

Levei o açúcar ao lume com a água e deixei ferver até começar a caramelizar. Juntei os amendoins envolvi bem. Espalhei sobre uma tábua de vidro e deixei arrefecer completamente e, quando estava duro piquei com uma faca.

Cobertura de chocolate para cobrir o bolo:

-300 g de chocolate de culinária ( usei Valrhona 70% de cacau)
-40 g de manteiga sem sal
-200 g de natas

Parti o chocolate em pedaços juntei a manteiga e natas e levei ao lume a derreter em banho-maria.

Montagem: cortei os dois bolos ao meio com uma faca de serrilha  recheei, e montei os bolos. No intervalo dos dois bolos também recheei. Fiz metade da receita e deu um bolo enorme. Quando faço metade das receitas de bolos, acrescento sempre um ovo a mais do que a receita pede, por isso utilizei 7 em vez de 6.

P.S. Peço desculpas de não haver fotos do bolo aberto, mas o mesmo foi aberto fora de casa. Não estive com pachorras para produções fotográficas, o dia era meu e dos filhos. :) Apesar de nas fotos não parecer, mas ficou certinho no interior as camadas intercaladas. Acreditem se quiserem. :) Tenham um dia e início de  fim de semana fantástico.

"O tempo é muito lento para os que esperam
Muito rápido para os que têm medo
Muito longo para os que lamentam
Muito curto para os que festejam
Mas, para os que amam, o tempo é eterno."
 
(Henry Van Dyke)
 

quinta-feira, janeiro 15, 2015

FELIZ ANIVERSÁRIO [HAPPY BIRTHDAY]



Parabéns para mim! Parabéns aos meus saudosos pais por me fazerem. Parabéns ao "meu" Deus, por me deixar nascer e caminhar na estrada da vida. A estrada, que por vezes tem pedregulhos, mas que eu afasto, tudo o que me incomoda no caminho, há quem os apanhe para mais tarde fazer um castelo, eu não, não quero castelos. Há pedregulhos (situações) que infelizmente não posso afastar (a doença dos meus pais e partida). Dói, continua a doer muito, continuo a sentir-me órfã, e estou-me nas tintas para as teorias que falam escrevem que o tempo é amigo, e faz passar/atenuar a dor. Mentira. Mas, é o que sinto, só posso falar por mim e não pelo geral. Só aprendi foi a viver com a saudade dorida, essa que sei, que só acaba quando nos voltarmos a encontrar, pois eu acredito. Hoje faço 56 anos. Quem me conhece ou segue no blog sabe que adoro somar números à idade, é sinal que continuo na minha estrada, na minha estória, que só eu tenho o direito de escrever e viver, seja errada ou não. É minha. Festejar? Não sou nem nunca fui de festejar. Festejar, só mesmo os aniversários dos filhos, enquanto me deram autorização (eram pequenos) sempre fiz festas de aniversários ao gosto de cada, no sitio que escolhiam, o tema que gostavam etc. Depois cresceram, e começaram a festejar com quem queriam, faço sempre o bolo e apagamos as velas, mas festas, é com os amigos o que acho muito bem: viver a vida. Agora o meu aniversário, sempre foi um dia triste para mim, triste, mas não infeliz. Lá vão pensar: que contrassenso a Isabel, primeiro escreve que gosta de acrescentar números à idade, depois escreve que sempre foi um dia triste, haja paciência para compreender a cabeça da Isabel :). Ok, sei que sou uma mulher muito eu, tenho as minhas convicções, e sou muito por emoções, o que sinto é que tem validade, nunca fui pela cabeça dos demais. Hoje com a idade (pois é a única que acredito, a que nos dá a tal sabedoria, que tanto necessitamos na nossa caminhada), sinto, que talvez esta minha tristeza já venha desde o tempo que não fui desejada, mas nasci e fui muito amada, não tenho alguma dúvida, mas com certeza algo ficou gravado dentro de mim. Hoje estou nostálgica, precisava de ouvir a voz dos meus pais, precisava de ouvir tocar o telefone (eram sempre os primeiros a darem-me os parabéns), precisava de ouvir as frases que sempre ouvia, precisava de refilar, quando algo não era do meu agrado, precisava dos abraços, precisava de sentir o cheiro deles, hoje precisava de os sentir. Hoje preciso dos meus pais. Hoje vou almoçar com as duas pessoas mais importantes da minha vida: os meus filhos. Com eles sou e estou feliz.

P.S. A única foto de bebé que estou a rir, a minha mãe dizia-me que sempre fui um bebé triste, o contrário dos meus irmãos. Então o meu irmão, a minha mãe sempre disse que foi um bebé muito risonho. Quando olho para esta foto, se me estava a rir só podia ser por estar tão à vontade...:)

Eu não entendo o porque todos comemoram aniversário uma vez no ano.
Comemorar o que?
Um ano a menos de vida?
Um ano a menos com quem você gosta?
Um ano a menos pra realizar seus sonhos?
Ninguém repara que isso é uma contagem regressiva...
 
(Jean Sapia)

quarta-feira, janeiro 14, 2015

BISCOITOS DE NATAL


 
Uns biscoitos simplesmente delicados e deliciosos que estiveram presentes na nossa mesa de Natal. 
 
 
Ingredientes:
-220 g de farinha
-60g de farinha Maizena (amido de milho)
-pitada de sal
-230 g de manteiga amolecida
-40g de açúcar em pó
-1 c. de chá de baunilha líquida
-1 c. de sobremesa de preparado de especiarias





Misturei numa tigela a farinha, o sal, a Maizena (amido de milho) e o preparado de especiarias. Em outra tigela bati a manteiga com o açúcar em pó e a baunilha. Juntei os secos e com os dedos envolvi tudo sem ligar muito a massa. Envolvi a massa em pelicula aderente e levei ao frigorifico durante 1 hora. Em tabuleiros forrados com papel vegetal coloquei bolas de massa que fiz com a ajuda de uma colher de sobremesa (medida) e enrolei com a ajuda das mãos. Deixei um espaço entre os biscoitos. Levei os tabuleiros a forno pré-aquecido a 180ºC. entre 10-12 minutos no máximo. Deixei arrefecer os biscoitos nas redes. Quando frios envolvi em açúcar em pó.



P.S. Os biscoitos são muito frágeis deixar arrefecer bem antes de envolver no açúcar. Se não pode só polvilhar. Uns biscoitos que chamo de Natal, pois foi com os meus filhos que aprendi o termo (casa a cheirar a Natal) o que neste caso é a as especiarias que fizeram esse aroma.


"Conserve os olhos fixos num ideal sublime, e lute sempre pelo que deseja, pois só os fracos desistem e só quem luta é digno de vida."

(Desconhecido)

terça-feira, janeiro 13, 2015

PERU RECHEADO

Como os filhos não gostam de cabrito nem borrego, no Natal faço o peru recheado que gostam. Esta receita já tinha feito no ano passado aqui! Foi aprovado, este ano fiz a mesma receita.


 
Ingredientes:
-1 peru
-manteiga
-150 g de bacon fumado
-300 g de carne de porco picada
-4 salsichas frescas
-1 carcaça/papo-seco (ou outro pão que gostem)
-leite para demolhar o pão
-1 ovo
-pickles (usei meio frasco dos pequenos)
-150 g de azeitonas pretas sem caroço
-1 cebola média
-sal marinho
-pimenta-preta moída na altura

 
Limpei o peru como habitualmente. Na picadora piquei o bacon, azeitonas e pickles. Numa tigela coloquei a carne picada, as salsichas, o bacon, azeitonas e os pickles. Misturei muito bem e reservei. Num tacho coloquei a cebola picada com 50 g de manteiga, levei o tacho a lume brando, até a cebola ficar translúcida, nessa altura juntei a mistura que tinha reservado, envolvi tudo muito bem e deixei sempre em lume brando cozinhar a carne e harmonizar sabores. Juntei o pão demolhado e espremido e o ovo batido, temperei com sal e a pimenta e envolvi tudo muito bem e deixei cozinhar o ovo o que é rápido. Entretanto separei a pele do peito do peru com as mãos, sempre com cuidado para não romper. Introduzi a mistura no peito e o que restou coloquei no interior. Cozi o papo do bichinho, e a parte inferior, ou seja todos os buraquitos, para a mistura não fugir enquanto o bicho assava. No tabuleiro do forno, coloquei o bicho deitado sobre uma das asas (ok, ia dormir) e reguei com a restante manteiga derretida. Levei ao forno pré-aquecido a 180ºC, ao fim de 40 minutos mais ao menos virei o bicho e coloquei-o a descansar (assar) sobre a outra asa. Ao fim de outros 40 minutos virei o bichinho de papo para cima (estilo a bronzear-se na praia) e reguei com o molho que se formou. Deixei assar e sempre a regar com o molho. Quando assado (ao fim de 3 horas) retirei o molho que se formou, e juntei uma colher de sobremesa de maizena e levei ao lume a engrossar. Servi o bicho com batatas assadas à parte com ervas de Provence, e couves de Bruxelas salteadas com bacon, o molho foi servido numa molheira.
 
Couves de Bruxelas salteadas : Lavei muito bem as couves e retirei alguma folha amarela. Cozi-as em água e sal marinho (10 minutos) ao fim desse tempo escorri as mesmas e reservei. Numa frigideira coloquei bacon cortado em cubos miúdo, e juntei uma c. de sobremesa de azeite. Em lume brando deixei o bacon largar a sua própria gordura, juntei as couves e temperei com pimenta preta. Envolvi bem. Quando as couves estavam salteadas aumentei o lume, e juntei uma c. de sopa de vinagre balsâmico, envolvi muito bem e deixei só o tempo de harmonizar sabores.

"Me faço explicar pelo que penso, me faço conduzir pelo que sinto."
 
(Desconhecido)

segunda-feira, janeiro 12, 2015

PUDIM DE NATAL

 
O Natal já passou, mas como eu disse aqui, "Natal é quando um homem quiser", neste caso mulher. O que no caso só agora é que sai algumas das receitas que passaram pela nossa mesa. Pudim nunca pode faltar na nossa mesa de Natal! Este o filho adora, seja Natal ou não. Já tenho vários no blog com decorações diferentes. Podem ver aqui.

 
Ingredientes:
-250 gr de pão
-3 dl de leite a ferver
-240 gr de açúcar amarelo
-5 ovos
-120 gr de fruta cristalizada (cortada aos bocadinhos)
-100 gr de amêndoa laminada (coloquei 150 gr)
-100 gr de passas (sem grainhas)
-125 gr de manteiga derretida
-1 laranja (sumo e raspa)
-1 colher (chá) de canela em pó
-1 cálice de rum
-manteiga e açúcar para untar a forma e polvilhar.

 
Modo de preparar:
Ligue o forno a 180 graus unte uma forma e polvilhe-a com açúcar. Corte o pão em pedacinhos e regue-os com o leite quente. Tape e deixe embeber bem. Esmague o pão com uma colher de pau e junte-lhe o açúcar, os ovos batidos, a fruta cristalizada, os frutos secos, a manteiga, a raspa e sumo da laranja, a canela e o rum. Envolva e deite para a forma. Leve-a ao forno em banho-maria, por 1 hora. Desenforme o pudim frio . Decore a gosto e sirva. Servi coberto com doce de ovos.

Doce de ovos:
-6 gemas
-250 g de açúcar
-100 ml de água
-1 vagem de baunilha
Coloco um tacho ao lume com a água, açúcar e a vagem de baunilha. Deixo fazer o ponto de pérola (leve), depois retiro o tacho do lume e deixo arrefecer um pouco. Quando morno juntei as gemas batidas e envolvi muito bem com a vara de arames, levo de novo ao lume até cozer as gemas e fazer o ponto de estrada.

"Tente. Sei lá, tem sempre um pôr-do-sol esperando para ser visto, uma árvore, um pássaro, um rio, uma nuvem. Pelo menos sorria, procure sentir amor. Imagine. Invente. Sonhe. Voe."
 
(Caio Fernando Abreu)

sexta-feira, janeiro 09, 2015

BOLO REI COM GELADO CARTE D`OR




No dia do Workshop da Carte D`Or o chefe Madeira ensinou como servir  bolo rei com gelado. Uma sobremesa de Natal, que serve na perfeição para outra altura qualquer, haja bolo rei. O bolo que eu mais gosto. Já o meu saudoso pai também era o bolo da sua preferência. Eramos os dois apreciadores desta iguaria, sabíamos/sei apreciar um bom bolo rei. No dia que o filho vinha almoçar e até era peixe, lembrei-me logo desta sobremesa. No Workshop os bolos eram pequenos (um dava para uma pessoa ou duas). Como não encontrei, comprei um bolo pequeno (480 g) e servi. Sim, o bolo tem que se consumir todo, pois o gelado derrete. Bolo vezes numero de pessoas ok?



Modo de fazer: Abrir o bolo ao meio e colocar ambas as partes numa chapa a aquecer (fazer as riscas/marcas da chapa) depois rechear com o gelado escolhido (neste caso foi o gelado da Carte D`Or crème brûlée, colocar a outra parte do bolo e polvilhar com canela. Servir de seguida. O filho gostou e muito!
 
"A sabedoria é algo que quando nos bate à porta já não nos serve para nada."
 
(Gabriel García Márquez)

quinta-feira, janeiro 08, 2015

PARGO MULATO NO FORNO



Numa das minhas idas ao mercado vi pargo mulato, resolvi comprar para fazer assado no forno. O filho até vinha almoçar, calhou bem. :) Agora já gosta de peixe, a filha ainda continua a torcer o nariz, mas: come (que remédio) :). Vamos ver como fiz!



Modo de fazer:

Levei a cozer umas batatas com casca (previamente bem lavadas) temperadas com sal marinho . (Só um entalão). Depois cortei as batatas ao meio.

Num tabuleiro de barro coloquei uma cebola cortada às rodelas. Coloquei o peixe devidamente arranjado e limpo por cima da cebola, piquei dois dentes de alho, espremi um limão por cima do peixe, coloquei as batatas previamente cozidas à volta, louro, temperei com sal marinho e polvilhei com pimentão-doce. Reguei com azeite e borrifei com vinho branco. Coloquei umas rodelas de limão por cima do peixe. Levei o tabuleiro ao forno pré-aquecido a 180ºC, o tempo de assar o peixe o que é rápido, quando as batatas começam a aloirar, já está.

P.S. O dar um entalão às batatas, como sabem o peixe assa primeiro que as batatas, e como queria com casca. ;)

"Eu sei que não sou nada e que talvez nunca tenha tudo. Aparte isso, eu tenho em mim todos os sonhos do mundo."
 
(Fernando Pessoa)

quarta-feira, janeiro 07, 2015

TRONCO DE NATAL


 
 
Sei que o Natal já passou, mas utilizando o cliché (Natal é quando o homem quiser, neste caso mulher). :) Tronco de Natal não pode faltar na minha mesa de Natal, como todas as restantes iguarias. :)  Tento sempre fazer uma receita diferente, tronco de Natal, para mim não é mais que uma torta com decoração diferente. Mais uma receita que é brutal!


Ingredientes:
-6 ovos
-200 g de açúcar
-170 g de farinha
-20 g de cacau
-1 c. chá de fermento em pó
-1 pitada de sal

Recheio:
-3 dl de leite
-2 dl de natas
-100 g de açúcar
-40 g de farinha
-1 pitada de baunilha (usei 1 c. de café de baunilha líquida)
-1 ovo + 2 gemas

Cobertura:
-200 g de chocolate preto (usei Valrhona)
-200 ml de natas


Bati muito bem os ovos com o açúcar durante cinco minutos. Peneirei a farinha com o cacau, fermento em pó e sal. Envolvi com a espátula. Deitei o preparado num tabuleiro (30 cm)  forrado com papel vegetal e untado. Levei o tabuleiro ao forno pré-aquecido a 190ºC, durante 20 minutos. Retirei do forno e desenformei sobre uma folha de papel vegetal polvilhada com açúcar em pó. Reservei.

Para o recheio, levei ao lume o leite com as natas. Antes de levantar fervura, adicionei os restantes ingredientes misturados. Mexi sempre com uma vara de arames até ferver. Retirei do calor e deixei arrefecer. Barrei a torta com o recheio e enrolei a torta com a ajuda do papel vegetal. Reservei.

Para a cobertura, coloquei o chocolate partido com as natas num tacho pequeno. Levei ao lume e mexi sempre até obter um creme homogéneo.

Cortei uma fatia larga transversal, com a ajuda do creme de chocolate colei a fatia (imitar um tronco). Cobri com o creme de chocolate. Polvilhei com açúcar em pó, coloquei 3 cerejas cristalizadas à volta coloquei fios de ovos. Simples, como gosto! Sem muitas fantochadas.

"Ser feliz é encontrar força no perdão, esperanças nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros. É agradecer a Deus a cada minuto pelo milagre da vida."
 
(Augusto Cury)