quarta-feira, Setembro 03, 2014

BOLO COM LARANJA EM CALDA




Esta receita saltou do meu caderninho :) que delicia de caderninho e bolo. Vamos à receita.

Ingredientes:
-125 g de manteiga
-110 g de açúcar
-2 ovos
-260 g de farinha
-1 colher de chá de fermento
-125 ml de leite
-raspa de 2 laranjas
-60 ml de sumo de laranja



Calda de laranja:
-250 ml de sumo de laranja
-110 g de açúcar

Untei e forrei com papel vegetal uma forma de bolo inglês. Reservei. Bati com a batedeira a manteiga e açúcar até obter uma mistura fofa. Adicionei os ovos, um a um, batendo bem entre cada adição até que fiquem bem dissolvidos. Juntei a farinha misturada com o fermento por duas vezes, o leite, raspa e o sumo da laranja sem deixar de bater. Deitei a mistura na forma reservada e levei ao forno pré-aquecido a 180ºC, durante 50 minutos. Ao fim desse tempo desenformei o bolo retirei o papel vegetal e voltei a colocar o bolo na forma. Reguei com a calda quente e deixei na forma até arrefecer.



Calda de laranja: Misturei o sumo e o açúcar num tacho. Levei a lume brando sempre a mexer, sem deixar ferver, até que o açúcar se dissolvesse. Nessa altura aumento o lume para o máximo só o tempo para levantar fervura. De seguida voltou a lume brando, sem mexer, durante 10 minutos, o tempo que levou a espessar a calda ligeiramente.

"Se soubéssemos quantas e quantas vezes as nossas palavras são mal interpretadas, haveria muito mais silêncio neste mundo."
 
(Oscar Wilde)
 

terça-feira, Setembro 02, 2014

SHIUUUU, VINAGRE DICA #6


(Imagem retirada na net)
Não tem nada a ver com comida. Mas penso que é uma dica importante, por isso juntei ao patamar das dicas.  Nas minhas casas de banho, as banheiras sempre tive cortinados de plástico mais tarde de outras matérias, já em casa dos meus pais era assim. Que passado um tempo ficavam com humidade  e lá tinham que ir para a máquina da roupa com uma toalha de turco (ajuda a tirar a sujidade dos cortinados) e vinagre. Saiam limpinhos até à próxima. Quando comprei esta casa, as casas de banho já tinha instalado no poliban e banheira aquelas divisórias. Ok, fiquei contente pois pensei no trabalho que me poupava (o tirar, lavar, colocar e comprar cortinados, pois ao fim de algumas lavagens eu já não gostava do que via). Mas ao fim de algum tempo comprovei que não é só passar um passo e secar como fui informada. O calcário deixa marcas que para mulheres como eu que adoro, mas adoro mesmo ver os vidros translúcidos fico irritada. Sempre comprei aqueles produtos caros, contra, ou limpa o calcário do vidros. Marcas? É tudo a mesma tanga. Há dois anos renovei as estruturas do poliban e banheira, pois os anteriores já não me agradavam. Mais novas marcas de produtos no mercado, ah, aquilo é tão fácil e limpa tudo. :) Mais uma vez fui enganada. Comecei a ver de novo marcas nos vidros, mesmo com muito cuidado, que eu tenha (sou daquelas mulheres maníacas com limpezas) já começava a ficar chateada, pois via marcas que não saia com os produtos e depois com o limpa vidros. Lembrei-me do vinagre que desde miúda via a minha mãe e depois eu, que usava na lavagem dos cortinados, se o vinagre tirava a sujidade, que os melhores detergentes não tirava, será que não tira o calcário? Experimentei embeber um pano branco com vinagre e passar nos vidros. Milagre? Para mim é, pois retirou todas as manchas que já teimavam não sair, apesar da recente aquisição das estruturas. Fiquei feliz :) parece que tinha descoberto a pólvora. :) Um frasco de vinagre de 1L branco custa barato, e dura imenso para este fim. O que vou poupar em detergentes e já não falando sobre o ambiente, mas esse tema deixo para os/as especialistas, pois eu sou uma leiga no assunto. Se a informação interessar, ótimo, senão esqueçam o que leram ok?

P.S. Na TV os anúncios de detergentes, são uma maravilha. Limpam, lavam, tiram nódoas etc. Grande tanga. Faz me lembrar as desilusões dos meus filhos quando eram crianças, e pediam algum brinquedo que dava na TV. Eu comprava e principalmente o meu filho ficava chateado dizia logo: -Ó mãe, não faz o mesmo, eles enganaram. :) É assim que eu me sinto. Ah, e nódoas da roupa eu tiro-as todas sejam de gordura ou não é com sabão azul e branco. Faço assim: vejo onde está a nódoa, e com o sabão azul e branco molhado esfrego na nódoa, reservo um pouco. Depois com água a ferver molho o sitio da nódoa e esfrego bem, passo por água limpa e depois lavo a peça de roupa normalmente na máquina, e "voilá" desaparece por completo. Tenho 55 anos e sempre fiz assim. Nunca comprei aqueles produtos ditos milagrosos (tanga). Se vos servir mais esta dica sirvam-se, senão como disse mais atrás  esqueçam o que leram. :)

segunda-feira, Setembro 01, 2014

PAVLOVA DE CHOCOLATE COM GELADO DE MIRTILOS


 
Tinha 4 claras que sobrou de uma sobremesa. Congelar não queria pois já tenho bastantes. Lembrei-me da receita da minha amiga Sandra. Como estava em lista de espera para saborear a pavlova com gelado, nem foi tarde, nem foi cedo. Seguiu para "bingo". Resolvi fazer mini pavlovas (individuais). Olhei para dentro do frigorífico para me inspirar no sabor do gelado. Tinha  mirtilos saltaram logo para fora e acompanhar 4 iogurtes gregos simples açucarados do LIDL. Vamos ver como fiz o gelado.


Ingredientes do gelado:
-250 g de mirtilos
-500 ml de iogurte grego açucarado

No liquidificador coloquei os ingredientes e fiz um polme. Deitei o mesmo na sorveteira a trabalhar, levou 20 minutos. Neste gelado não coloquei açúcar, os iogurtes já tinham que baste, além que o gelado era para acompanhar as pavlovas que já tem açúcar suficiente. Mas se fizerem o gelado para comer só e quiserem acrescentar um pouco de açúcar, acrescentem ao vosso gosto, que como sabem o mirtilo tem um leve sabor a amargo (que adoro).


Ingredientes do merengue:
-4 claras
-200 g de açúcar
-1 colher de (sobremesa) de vinagre
-1 colher de (sobremesa) de Maizena
-1 colher de (chá) de cacau em pó (usei Cacao Sampaka)

 Bati as claras em castelo, quando batidas juntei metade do açúcar e voltei a bater até fazer picos. Juntei o resto do açúcar, farinha, cacau e o vinagre e envolvi muito bem com a vara de arames sem bater. Untei com manteiga um tabuleiro (daqueles de bolachas/biscoitos, sem laterais) fiz 3 montinhos com o merengue. Com uma colher de (sopa) fui espalhando até fazer 3 círculos. Levei ao forno pré-aquecido a 150ºC, durante 1 hora. Ao fim desse tempo desliguei o forno e deixei o merengue arrefecer dentro do (forno).

Montagem: Colocar as pavlovas e colocar uma bola de gelado de mirtilo e regar com um doce de mirtilo que fiz para regar as pavlovas. Num tacho coloquei 125g de mirtilos, 20 g de açúcar branco e 2 colheres de sopa de água, levei a lume médio sempre a mexer, até ficar com uma textura de doce, o que foi rápido, pois a quantidade foi mínimo.

"Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, no que respeita ao universo, ainda não adquiri a certeza absoluta."
 
(Albert Einstein)

sábado, Agosto 30, 2014

SEMPRE MAIS DO MESMO



                                                              (Imagem retirada na net)
Em Julho resolvi comprar outro liquidificador. Tinha um que ainda trabalhava, mas estava já um pouco "feinho". Era/é grande com o copo em plástico. Estava-me a apetecer trocar :) O copo já tinha caído e partiu uma ponta que foi colada. Desde que fui mãe, ou seja há 35 anos sempre tive liquidificador, o meu 1º comprei em Espanha nas férias tinha a minha filha 3 meses. não "vivo" sem esse utensilio, não estou a dizer que seja indispensável, para mim é! Para fazer batidos que os filhos desde pequenos sempre adoraram, sumos, fazer as misturas dos meus gelados, etc. Mas nunca tive problema de encontrar liquidificadores, este ano "por obra do espirito santo" foi sumiço que lhes deu, ou eram pequenos (os meus sempre foram de tamanho grande) ou tinham os copos de plástico (queria de vidro) ou porque não gostava da cor, tive alguma dificuldade de encontrar. Os que eu gostava e queria estavam esgotados, e depois eu sou aquela eterna chatinha se coloco uma coisa na cabeça não venham com as ladainhas, ah, este é melhor, ah, este dura mais, ah, este até é mais bonito, estou-me lixando para a opinião dos outros, que até podem ter razão, mas é a razão deles e não a minha, e é com a minha que eu durmo. Quando numa dessas minhas procuras eu comento: Nunca tive tanta dificuldade de encontrar um liquidificador como agora, a minha filha diz logo, mãe não te esqueças da "febre" das dietas e sumos detox, bolas, nem me tinha lembrado desse pormenor, é verdade, agora até dá vómitos os blogs é só alimentação dita saudável,:) eles são batidos, sumos e misturas de fruta com sementes e fibras, eu fiquei a pensar, este povinho é mesmo de carneiradas, vai tudo atrás. Mas cada um é como é, já a minha saudosa mãe dizia "mix ou max, max ou mix" cada um é livre de fazer o que mais prazer lhe dá. Como não sou de desistir lá encontramos o dito no Continente do Seixal. :) Ufa, estava a ver que não.

sexta-feira, Agosto 29, 2014

OVOS BENEDITINA


Crê-se que a origem destes clássicos ovos beneditina (duas metades de pãozinho inglês torrado, ovos escalfados com as gemas líquidas, bacon estaladiço e molho holandês com limão) remota à década de 1920, quando um financeiro de Wall Street chamado Benedito se queixou ao chefe do famoso restaurante Delmonico`s, de Manhattan, que o menu estava sem interesse. Este prato foi uma forma de o chefe agradar ao seu assíduo (e muito rico) cliente.

 
A Isabel como não estava em Wall Street e tinha comprado  o bolo do caco no Continente resolvi alterar o tal do pãozinho inglês. :) Também alterei o bacon, usei fiambre de frango no forno. Vou colocar a receita original, com as minhas alterações.


Ingredientes:
-ovos
-pãezinhos (bolo do caco)
-bacon estaladiço (fiambre de frango no forno)

Molho Holandês:
-60 ml de vinagre de vinho branco
-3 gãos de pimenta-preta
-1 folha de louro
-2 gemas de ovo
-125 g de manteiga derretida
-1 colher de sobremesa de sumo de limão

Escalfar os ovos, um a um, num tacho com água a ferver, sem tapar, até que estejam no ponto; escorri-os em papel absorvente (papel de cozinha).
De seguida cortei os pãezinhos (bolos de caco) ao meio; torrei-os até que fiquem estaladiços e ligeiramente alourados.
Coloquei um pãozinho (bolo do caco) aberto em cada prato e colocar o bacon estaladiço (fiambre de frango no forno) coloquei o ovo escalfado e um pouco de molho holandês.

Molho holandês: Misturei o vinagre, os grãos de pimenta e a folha de louro num tacho; esperei que fervesse. Deixei depois em lume brando, sem tapar, até reduzir para metade. Deixei arrefecer. Numa tigela de vidro coloquei as gemas e bati com a batedeira, sem desligar juntei gradualmente 1 colherzinha de manteiga derretida (deve estar quente): bati até que a mistura começou a engrossar. De seguida, com a batedeira sempre a trabalhar, fui acrescentando 2 colheres de mistura do vinagre e colherzinhas de manteiga derretida. Continuei a bater até que o molho espesse e se tenha misturado toda a manteiga e o vinagre; juntei o sumo de limão.

Notas: Em Wall Street serve-se os ovos beneditina ao pequeno-almoço, eu servi como  refeição onde acompanhou uma sopa de feijão verde.

"O rio só atinge o seu objetivo porque aprendeu a contornar os obstáculos."

(Desconhecido)

JORGE PALMA " PORTUGAL, PORTUGAL"


Gostei ontem, do concerto de Jorge Palma. O Povo inclusive eu (também sou Povo) uniram-se para cantar "Portugal, Portugal". Arrepiou. Talvez tenha sido uma mensagem, quem sabe!?!?

quinta-feira, Agosto 28, 2014

ARGOLINHAS (DA MINHA MÃE)




Estava daqueles dias nostálgica, com uma enorme saudade dos meus pais. Na véspera tinha estado a falar com o meu filho sobre o meu pai, sobre situações que enquanto somos novos e temos a "mania" que sabemos tudo. Com o caminhar na estrada da vida comprovamos que estávamos enganados (enganada, eu). :( Mas como disse, estava com saudades, aliás as saudades não me abandonam. A vida vai-se levando, mas há sempre um vazio, eu continuo com esse vazio. Não vos quero chatear com as minhas nostalgias, mas já disse várias vezes a minha mãe era uma cozinheira de mão cheia, tudo o que ela fazia era um manjar dos Deuses, mas nunca foi muito de doces, na minha memória não tenho grandes lembranças, a não ser do doce de tomate da minha mãe que era de se comer ajoelhada, do arroz doce, bolo de bolacha, fatias paridas e destas argolinhas que desde que me conheço por gente que via a minha mãe fazer. Era uma alegria quando eu via a minha mãe a separar os ingredientes e vê-la a colocar a farinha em monte na bancada, só podia ser as argolinhas ou os famosos pasteis de massa tenra que a minha mãe fazia. Mas se na véspera não tinha sido cozido à portuguesa nem carne estufada (sim, ela fazia os pasteis com a carne que sobrava) só podia ser as argolinhas, e a Belinha (eu) pequena que mal chegava à banca da cozinha ia logo buscar o meu banquinho  para a ajudar a minha mãe, ela dava-me massa para eu esticar ou enrolar o caso destas argolinhas. Nunca vi a minha mãe pesar ingredientes tinha uma balança de cozinha mas nem sei se alguma vez pesou alguma coisa, depois a balança desapareceu (com certeza deu) a minha mãe fazia tudo a olho, a experiência já era mais que muita. Quando fiz o blog de culinária, ouve um dia que lhe pedi: mãe dê-me a receita das argolinhas que a mãe faz! A minha mãe disse logo a receita mas sem quantidades. :) Ok mas e as quantidades mãe? A mãe faz tudo a olho, tens que estar ao pé de mim e ires pesando ou medindo para saberes as quantidades. Tudo bem. Só que entretanto o  meu pai adoeceu, nem nunca mais me lembrei das argolinhas, depois foi a partida dele e logo de seguida a doença da minha mãe que as argolinhas ficaram esquecidas no tempo. Neste dia de nostalgia, lembrei-me já tinha falado com a minha filha destas argolinhas, nem foi tarde nem foi cedo, fui para a cozinha e fui fazer, as quantidades fiz as minhas, a maneira de executar foi como a minha mãe fazia.



Na banca da cozinha coloquei a farinha 300g com uma colher de café mal cheia de fermento. Fiz um buraco no meio onde coloquei 50 g de manteiga amolecida e um ovo. Fui envolvendo com as mãos onde fui juntando leite pouco a pouco (ao todo 3 colheres de sopa) para fazer uma massa homogénea, ainda juntei mais duas colheres de sopa de farinha até encontrar a tal textura da massa, sem se pegar às mãos e banca. Fiz rolinhos de massa que depois uni com um "estilo" de laço. Levei a fritar em óleo quente até aloirarem. Escorri em papel de cozinha e depois foi envolver em açúcar e canela. As argolinhas da minha mãe ficavam todas do mesmo tamanho, tal era a sua destreza com a massa, as minhas ficaram de vários tamanhos. O importante, tive um "momento" com a minha mãe, onde está deve-se ter rido com a minha falta de jeito a fazer os lacinhos. Obrigada mãe.

"Saudade é um sentimento que quando não cabe no coração, escorre pelos olhos."

(Bob Marley)
 

quarta-feira, Agosto 27, 2014

A MORTE

                                      (Imagem retirada na net)
Mais um jovem que partiu. Foi dias a dar nas notícias sobre o jovem Arq. que foi esfaqueado no cais do Sodré. O Diogo foi colega do meu filho de curso e eram amigos. Ainda há tão pouco tempo eu tinha falado sobre a perda de um filho, não vou acrescentar mais nenhuma palavra. Estou com os pais do Diogo na dor. :( Descansa em paz Diogo.

SOPA DE BELDROEGAS À ANTIGA



Fui ao mercado e encontrei beldroegas, resolvi comprar para fazer sopa. Com 55 anos nunca tinha comido. Ok, há sempre uma primeira vez para tudo. Quando estava no "auge" da minha carreira (era nova) à porta do Supermercado Europa na Amadora estava lá um senhor que pelos trajes devia ser Alentejano, com um cesto cheio de ervas, as vezes que passei e vi o senhor,  podem crer que foi muitos anos, aliás nem sei se lá continua, nunca parei, olhava mas como não conhecia o que o senhor vendia seguia. Mas ele tinha clientes para os seus produtos, na Amadora uma grande parte da população eram do Alentejo, então as pessoas sabiam o que estavam a comprar. Com o andar da "carruagem"  (idade) estou mais curiosa dos sabores. Resolvi fazer uma sopa do meu livro Cozinha Regional Portuguesa de Maria Odete Cortes Valente. Vamos ver como fiz


Ingredientes:
-1 ramo de beldroegas
-80 g de manteiga
-2 cebolas médias
-500 g de batatas
-1 ramo de salsa
-6 dentes de alho
-1 c. de (chá) de pimentão doce (colorau)
-3 ovos inteiros
-240 g de pão duro
-água suficiente para a sopa
-sal e pimenta

Levei a manteiga ao lume num tacho com as cebolas, os dentes de alho e salsa picados. Logo que a cebola ficou translúcida juntei as beldroegas bem lavadas e feitas aos raminhos. Refoguei e adicionei a água suficiente para a sopa. Juntei as batatas descascadas e cortadas às rodelas. Temperei com sal, pimenta e colorau. Quando estava pronto (batatas cozidas) juntei os ovos previamente batidos.  Coze e deita-se a sopa numa terrina sobre o pão cortado às fatias.

Notas: Não utilizei o pão. Para mim, batatas com pão é demais, preferi comer a sopa sem o pão. Mas passei a receita tal e qual o livro. Pronto agora a minha sincera opinião, não fiquei fã de beldroegas, mas talvez não tenha escolhido a melhor receita nem sei.
 
"Ao envelhecer, parei de escutar o que as pessoas dizem. Agora só presto atenção ao que elas fazem."
 
(Andrew Carnegie)

terça-feira, Agosto 26, 2014

CRÈME BRÛLÉE


Crème Brûlée adoro. A primeira vez que comi tal iguaria foi no Ano de 1992 quando fui à Disneyland  Paris com os filhos. Depois fiz várias vezes a receita, mas há muito tempo que não fazia, ou comi. Ou seja o blog faz destas coisas, esquecer o que de melhor e simples existe. Há imenso tempo que ando para fazer, mas quando vi esta receita resolvi fazer. Mais uma vez foi pra lista de espera, ainda tenho que vir várias encarnações, para ficar em dia com a minha lista de espera. :) Só que em vez de Alfazema usei vagem de baunilha, pois é o sabor que mais gosto.

Ingredientes:

-1/2 litro de leite
-1,5 dl de natas
-1 vagem de baunilha
-8 gemas
-200 gr. de açúcar branco
-açúcar mascavado claro, para queimar (usei Moreno)

Leve o leite ao lume com a nata e o miolo da vagem de baunilha e deixe levantar fervura.
Retire o leite do lume e deixe repousar, para ganhar sabor, por uns quinze minutos. Findo esse tempo, coe o leite. (Não coei)
Bata as gemas com o açúcar. Junte-lhes o leite, mexendo sempre.
Coe este preparado e distribua-o por ramequins, ou seja, pequenas taças de louça que possam ser levadas ao forno.
Pré-aqueça o forno, a 150C.
Leve os ramequins ao forno, em banho-maria, por uns 40 minutos, ou até que o creme fique firme.
Deixe arrefecer e mantenha-os no frigorífico até ao momento de servir.
Polvilhei os ramequins de açúcar moreno e queimei com  maçarico.


Como tinha comprado morangos e esta (minha) cabeça não para, pensei vou fazer um miminho. Lavei uns morangos (um por pessoa) com papel de cozinha enxuguei os mesmos e com o bico de uma faca retirei o interior dos morangos, mas com muito cuidado para não furar a fruta. Cortei a base para os morangos ficarem direitos. Recheei-os com crème brûlée e polvilhei com o açúcar moreno e lá fui de queimar com o maçarico, pensei, se não ficar bom também com certeza mau de todo não fica. Surpresa, ficou sublime :) as várias texturas, e sabores deu um casamento, para mim perfeito. Experimentem antes de pensarem a Isabel surtou, eu sei que já há muito que surtei, mas foi saudavelmente podem crer ;)
 
P.S. Os morangos fazerem na altura de servir. Encher com o crème brûlée já feito ok?
 
"Fracassar não é cair; é recusar-se a levantar."
 
(Provérbio Chinês)
 

segunda-feira, Agosto 25, 2014

CARAPAUS ALIMADOS À ALGARVIA

 
 

Apesar de adorar peixe e carapaus, nunca tinha comido carapaus alimados, sempre tive curiosidade de fazer, mas o tempo foi passando. Quando vi a receita da minha amiga Sandra, fiquei logo de antenas no ar. :) Mesmo assim foi passando o tempo, até que um belo dia estava eu na fila do peixe (espera de senha) vi os ditos e lembrei-me da receita da Sandra, vieram logo comigo. Eu trouxe a receita e texto tal e qual a Sandra escreveu, pois achei o máximo. :) Só que a quantidade que fiz foi menor que a receita. Mas cada um sabe as suas necessidades ok?



Atã mó! Lá nã tens p’xinho alimado, miga? Má q’jêt?
Traduzido do Algarvio: Então moça? Lá não tens peixinho alimado, miga? Mas que jeito?
Quando fui ao Mercado e vi os carapaus, apeteceram-me uns carapaus à Algarvia.
Em pleno mês de Outubro, ainda estamos nos 30 graus e apetece comidas frescas.
Cheguei a casa e foi logo preparar a receita, tal como me ensinou a Dona Maria José da Manta Rota.
 
 
 
Ingredientes (4 pessoas):

1 kg de carapau de tamanho médio/pequeno
10 dentes de alho (aproximadamente)
Azeite
Salsa
Orégãos

Retirar a cabeça e tripas dos carapaus e lavá-los bem.
Num recipiente alternar camadas de carapau polvilhadas com sal grosso, deixando a última camada coberta com sal.
Deixar repousar no frigorifico de um dia para o outro.

No dia seguinte, passar os carapaus por água fria, para retirar o sal.
Levar ao lume um tacho com água. Quando esta ferver, mergulhar os carapau na água e deixar ferver mais ou menos 5 minutos. Retirá-los e mergulhá-los em água fria.
Agora ‘alimam’ os carapaus, esfregando delicadamente com os dedos para retirar a pele e espinhas restantes. Os carapaus devem ficar inteiros com a espinha central.
Colocam-se numa travessa, temperam-se com os alhos cortados às rodelas, salsa, orégãos e regam-se generosamente com azeite.

Notas: Eu alterei a salsa por coentros. Já sabem que a qualidade de um excelente azeite faz toda a diferencia ok?
 
P.S. Obrigada Sandra pela deliciosa receita. A repetir. Como o meu provador oficial (filho) diria se gostasse destes petiscos: brutalíssimo...


"Vou-lhe dizer um grande segredo. Não espere o juízo final. Ele realiza-se todos os dias."
 
(Albert Camus)

REGRESSO

 
 

                                                     (Imagem retirada na net)
 O regresso de férias do Cozinhar com os Anjos. Primeiro tenho que agradecer ao pessoal que se preocupou e mandou e-mails a perguntar o que se passava, pois todas as vezes que o blog esteve em ausência nunca foi por bons motivos. Têm toda a razão, em causa esteve a doença dos meus pais e partida deles. Desde essa altura o Cozinhar com os Anjos entra sempre em ausência o mês de Dezembro, por motivos óbvios. Mas desta vez apeteceu-me mesmo descansar do blog. Apeteceu-me estar sem obrigações, pois tudo o que se torna tal, ui começa-me a arrepiar, não gosto. Encher chouriços (sempre mais do mesmo) também não é do meu feitio. Quase a fazer 7 anos de blog com mais de 1600 postagens, chega a uma altura, parece uma obrigação ter que o fazer, e como eu disse atrás, é coisa que não liga de todo comigo. Obrigações mesmo só com os filhos, de resto não.
 
Sempre fui uma mulher que não gosta que me imponham nada, que me obriguem, se não, está o caldo entornado. Blogs agora está na moda. Há sete anos atrás não estavam assim tão, ou pelo menos eu não dei por isso, sou lerda. :) Agora são como cogumelos, há sim os de grande qualidade, sejam de que temas forem, mas também os há de muito má qualidade, os que para mim são o vómito. Mas claro, todos tem o seu lugar, não tenho nada contra. Eu AMO o meu blog, o meu caderno virtual dos/para os meus filhos, onde está a minha partilha das receitas e não só! Ter um blog de culinária dá trabalho (aliás qualquer um), ter que pesquisar nos livros, comprar ingredientes, entrar no laboratório (cozinha) cozinhar (aqui o meu maior prazer), pensar e fazer a produção fotográfica e fotografar, por vezes com a mesa posta para se almoçar ou jantar. :) Enfim, é isso mesmo. Peço desculpa ao pessoal que teve saudades de chegar diariamente ao Cozinhar com os Anjos e ter um post novo, mas eu precisava de respirar além do blog. Tenho muitas receitas em rascunho, tenho receitas até de 2010, podia agendar as mesmas e ter postes todos os dias sem eu me chegar ao blog. Mas como eu sou diferente, sou a Isabel não gosto de agendar, gosto de fazer no momento, sou mesmo de viver o momento e nunca de viver por antecipação e isso aplicasse no meu "trabalho" do blog. Agora não esquecendo aquelas pessoas "amargas" com "esqueletos no armário" que tiveram a delicadeza de me presentear com e-mails menos agradáveis, e também a perguntar se eu tinha desistido!?!?!? Dah, desistido de quê? do blog? Deixem-se de parvoeira. :) Só posso dizer: O meu muito obrigada, por estarem aí e darem pela minha falta, é bom sinal. :) Só gostava de vos dar um conselho, se é que posso, mas como estou no meu espaço (blog) e ele é meu e muito meu, aqui vai: Façam uma faxina nos vossos armários (vidas) e vejam bem o que não precisam, o que precisam de eliminar, talvez se o fizessem tornariam as vossas vidas mais floridas e com sol, pois com o que me escrevem eu só vejo escuridão e espinhos dentro de vocês, e depois marram comigo. Sei que sou forte, sei que sou uma mulher segura confiante (não convencida ok?) Sei que sou isso tudo e mais algum que não me lembro agora, mas bolas, quando não tenho o que fazer agarro num livro, vou ver o meu mar, vou passear, faço o que estiver mais inspirada no dia, mas nunca marrar com os outros, pois não têm culpa. Pelo menos é o que eu penso. Agora o principal, o Cozinhar com os Anjos abriu hoje e de seguida a este testamento vai sair receita. Quero agradecer o carinho que recebo de quem me segue por bem, de quem me segue em silêncio mas não menos importantes para mim, um muito obrigada. Agora também aquelas pessoinhas que se dão ao trabalho de escrever a chatearem, o meu obrigada, pois se o fazem, é porque pensam em mim e isso ao contrário do que as vossas mentes mesquinhas pensam, tornam-me importante, pelo menos pela minha maneira de caminhar na vida. ;)

segunda-feira, Julho 14, 2014

FÉRIAS

  (Imagem retirada na net)
O Cozinhar com os Anjos vai de férias. Também precisa :).  Desejo a todos (as) meus seguidores uma férias e Verão fantástico, com muito "SOL" apesar de estarmos no Verão como sabem não me refiro ao tempo e sim à alma. :) Façam, ou pelo menos tentem que os vossos dias sejam dias com muita serenidade e felicidade. Fui...



"Quem pensa por si só é livre e ser livre é coisa muito séria."
 
(Renato Russo)

sábado, Julho 12, 2014

HÁ DIAS... ;)



                                      (Imagem retirada da net)
Há dias fui a uma serração para comprar umas madeiras para pintar . Fazer uma bases para as minhas produções fotográficas do blog. Sim, não é só ter um blog de culinária e cozinhar. Dá trabalho ter um blog de culinária. Os pormenores para mim estão ao mesmo nível que a qualidade da receita. já a minha avó dizia: "os olhos também comem!" Loiça e individuais  tenho com fartura, aliás nem tenho sitio para guardar, tenho uma leve impressão que qualquer dia tenho que comprar um móvel para guardar as mesmas, mas também tenho impressão que primeiro tinha que mudar de casa, espaço começa a faltar. :) Estou sempre a comprar peças isoladas, pois se fosse serviços estava bem arranjada. A minha filha olhou para mim e disse:- Mãe onde vais guardar as madeiras ? Na despensa e se não couber na arrecadação. :)

Lá fui eu de fita métrica para a serração perto de minha casa. Cheguei e olhei, vi o que queria e pergunto a um funcionário, o preço daquelas ripas (encaixam umas nas outras) ok, ele disse é X, ah e mais 23% de IVA. Pergunto, serra-me as ripas em 3 partes? Sim, mas ao ligar a máquina é mais X, bolas, agradeci e fugi dali, antes que me dissesse que era mais X por serrar. ;) Segui direitinha para o Leroy Merlin e nem precisei de perguntar preços, está tudo explicadinho. Com o preço que levavam na serração, trouxe as madeiras e as devidas tintas e lixas e afins. :) Eu gosto de ajudar o comércio tradicional, se "pudesse" não ia às grandes superfícies, mas, senti-me descaradamente a ser roubada.

Quando digo, que gosto de ajudar o comercio tradicional é verdade mas com muita pena minha ainda não me saiu o "euro tostões" então há que saber gerir os €. Eu moro numa Aldeia (sim, para mim Charneca de Caparica) é mesmo uma. O meu pai tinha muito por hábito dizer: saloios somos nós (pessoal da cidade). Cada vez concordo mais com ele. Como já disse há bastante tempo moro a 4km do LIDL, 8Km do Jumbo e por aí adiante... No minimercado perto de minha casa só compro o essencial aquilo que preciso na altura, não vou agarrar no carro para ir tão longe para comprar só uma coisa ou duas. Pois as grandes compras faço na MAKRO, Jumbo, LIDL  por vezes algumas Pingo-Doce, quando ia à Amadora também utilizava muito o Continente, hoje não, só vou lá por algum especifico, nunca gostei muito da disposição das prateleiras com os produtos. Mas esta conversa toda para quê? Para terem uma ideia no minimercado perto de minha casa compro 1 kg de açúcar amarelo por 1,99€ em qualquer outro lugar atrás referido o máximo que pago é 1,09€ e por vezes ainda menos. Não vou especificar mais ingredientes, pois este do açúcar foi há dias que me aconteceu, mas o resto é tudo igual. Como o meu saudoso pai dizia: Saloio (a) somos nós neste caso "eu".:)

sexta-feira, Julho 11, 2014

PIZZA DE CARNE


Pizzas cá em casa adoram! Já tenho várias no blog e tenho várias massas, basta "cuscar" aqui! :)

Estava num dia sem apetites de grandes cozinhados. Sim, sou uma mulher igual a qualquer outra, também tenho desses dias, apesar de amar cozinhar tenho muitos dias que não apetece mesmo.  Numa das minhas idas ao LIDL, vi que também tinham rolos de massa fresca de pizzas, como eu adoro a massa folhada deles, resolvi trazer um rolo para experimentar. Só que ficou a aguardar. :) Tinha descongelado dois bifes do Acém para fazer, mas olhei para os ditos, e não me apeteceu. Abri o frigorifico e vi o rolo da massa de pizza, disse logo: é hoje que vamos ver se vales alguma coisa. :) Coitada da massa, levou comigo, sem ter culpa nenhuma da minha falta de apetite de cozinhar. Tive pena. :) Vamos ver como fiz.

 Tenho sempre molho de tomate congelado, mas sem o filho a morar comigo, agora nem sempre faço em quantidades. Mas como disse atrás o apetite era nulo para cozinhar.


Resolvi o problema. Num tacho coloquei uma cebola picada, 2 dentes de alhos picados, um molho de coentros picados, um ramo de salsa picada, 1 tomate grande maduro (coração de boi) descascado e cortado em cubos, azeite, sal marinho, 1 tiquinho de açúcar, e 100ml de vinho branco. Levei o tacho tapado a lume brando, ao fim de uns 15 minutos juntei os dois bifes do acém picados (1,2,3,) sem peles e gorduras. Envolvi tudo muito bem e temperei com pimenta-preta moída na hora. Deixei cozinhar a carne e harmonizar sabores.

Num tabuleiro untado com azeite coloquei a massa de pizza do LIDL. Por cima a mistura da carne, polvilhei abundantemente com queijo ralado Mozarela (tenho sempre congelado) e orégãos. Levei ao forno pré-aquecido a 180ºC. O tempo de cozinhar a massa e alourar a pizza.

P.S. Ok, até nem me desiludiu. A massa não é má, claro que não se compara à minha (modéstia aparte), mas com certeza irei voltar a usar esta massa. Gostei. Não amei, mas gostei. Fica a dica para quem me segue.


"Não é a primeira impressão a que fica. É a última. Apenas certifique-se de que a primeira não seja a última."
 
(Aldo Novak)


quinta-feira, Julho 10, 2014

BOLO DE LEITE




Esta receita saltou daqui! O nome do bolo, só podia mesmo ser "de leite".



Ingredientes:

-1 lata de leite condensado
-1 medida de leite de vaca (*usa a lata do leite condensado)
-*1 medida de leite de coco
-*1 medida de farinha
-*1/2 medida de açúcar
-3 ovos
-3 c. de sopa de manteiga


Bater todos os ingredientes no liquidificador. Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC em forma de buraco, untada e polvilhada com farinha até ficar dourado.

P.S. O bolo fica com uma textura de queijada (húmida) e com o exterior crocante, mas eu aconselho a colocarem mais 3 c. de sopa de farinha. A textura ficará melhor com certeza. Assim farei numa próxima vez que o faça. O meu provador oficial (filho) disse: brutal.

Para melhorar a qualidade de vida, melhore a qualidade de seus pensamentos...
Se energize de pensamentos bons... !!!

(Bárbara Coré)

quarta-feira, Julho 09, 2014

BISCOITOS DE CHOCOLATE [OUTROS]



Já tenho várias receitas de bolachas/biscoitos/cookies de chocolate no blog. Quem me segue sabe o porquê.? :) Foi só mais uns :) chocolate nunca é demais, como os meus filhos dizem.


Ingredientes:

-250 g de farinha
-1 c. chá de fermento em pó
-1 ovo
-100 g de açúcar
-1 c. de chá de baunilha líquida
-125 g de manteiga sem sal à temperatura ambiente
-4 c. de sopa de cacau
-2 c. de sopa de leite
-1 mão-cheia de pepitas de chocolate branco

Numa tigela coloquei a manteiga com o açúcar e bati até ficar uma mistura esbranquiçada. Adicionei o ovo e bati. Juntei o leite e baunilha e bati de novo. Juntei os secos e envolvi muito bem. Adicionei as pepitas e envolvi na massa. Moldei uma bolas (tamanho de uma noz) e coloquei em tabuleiros forrados com papel vegetal. Com uma colher de sobremesa achatei um pouco as bolas. Levei os tabuleiros a forno pré-aquecido a 180ºC. durante 10 minutos.

"O passado pode ser a história de como chegamos até aqui, mas não precisa ditar o que acontecerá daqui em diante..."
 
(Bárbara Coré)

terça-feira, Julho 08, 2014

PERAS BÊBEDAS NO FORNO EM CAMA DE MASSA FOLHADA




Peras bêbedas todos (as) sabem fazer, como as minhas estavam um pouco tontas, resolvi coloca-las na (cama) rodelas de massa folhada. :) Vamos ver como fiz.



Descasquei as peras e cortei-as ao meio sem tirar caroço ou o pé da pera. Num tacho coloquei licor de pera, um pouco de água, açúcar amarelo e uma flor de anis. Deixei cozer as peras, depois de cozidas e escorridas deixei arrefecer completamente. Abri um rolo de massa folhada do LIDL (usem a que gostam, eu só gosto desta) e cortei rodelas com um corta bolachas. Pincelei com água fria as pontas e no meio coloquei uma pera em cada. Coloquei num tabuleiro forrado com papel vegetal e levei ao forno pré-aquecido a 200ºC. o tempo de aloirar e folhar. Servi polvilhado com pistácio sem sal. Simples e delicadamente deliciosas...




P.S. As quantidades cada um sabe o seu gosto e necessidades ok?

 
"Para melhorar a qualidade de vida, melhore a qualidade de seus pensamentos."
 
(Brian Tracy)


segunda-feira, Julho 07, 2014

SORVETE DE MELOA CANTALUPE

 
Esta qualidade de meloa é escusado cheirarmos, (quando compro meloas ando a cheirar as ditas, estas não é preciso enfiar o nariz) pois o seu cheiro é nulo. Mas em sabor é excelente. Adoro fruta, então no Verão, adoro melancia, melão ou meloa de que qualidade for. Mesmo assim, até tenho "mão" para escolher a fruta. Deixando de conversas querem é saber como fiz  este sorvete brutal, certo? Então vamos a isso.

Ingredientes:

-300 g de meloa Cantalupe sem cascas e pevides (usem uma ao vosso gosto)
-80 g de açúcar (a minha meloa era muito doce, se precisarem coloquem mais um pouco de açúcar)
-2 c. de sopa de sumo de lima
-1 clara de ovo

A meloa deve estar fresca. Num tacho coloquei o açúcar com 250 ml de água. Levei ao lume a mexer até dissolver o açúcar. Deixei ferver primeiro e depois arrefecer. Reduzi a polpa da meloa a puré com o sumo de lima. Reservei. Quando o xarope de açúcar estava frio juntei a polpa da fruta e envolvi muito bem com a vara de arames. Juntei a clara batida em castelo firme e juntei ao preparado anterior. Envolvi a mistura. (Não se preocupem se a mistura ficar esbranquiçada, parece que o merengue não se misturou, mas quando a mistura entrar na sorveteira, fica mais homogénico). Deitar a mistura na sorveteira a trabalhar, leva 30 minutos.

"Para melhorar a qualidade de vida, melhore a qualidade de seus pensamentos."
 
(Brian Tracy)